Coronavírus

Covid-19. Centro Europeu de Doenças teme que na 1ª fase não haja vacinas para todos os grupos de risco

Deixa um alerta aos Governos para reajustarem os critérios de vacinação.

Nos primeiros dias de janeiro a farmacêutica Pfizer começa a distribuir vacinas por toda a Europa. Semanas depois poderá ser a Moderna a fazer o mesmo. Mas um e outro laboratório podem não ter doses suficentes para os grupos que os estados-membros querem imunizar numa primeira fase.

"Não sabemos exatamente quantas doses vão estar disponíveis no início, mas a previsão é de que serão ainda menos que o número de pessoas incluídas nos grupos prioritários. Portanto, pode ser preciso rever as prioridades. Os critérios têm de ser refinados", pede o Centro Europeu de Doenças.

A União Europeia já fechou um acordo para comprar 300 milhões de doses, que vão dar para vacinar 150 milhões de pessoas.

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão