Coronavírus

ISEP desenvolve teste rápido e de baixo custo para monitorizar anticorpos para a covid-19

Cristina Almeida

Cristina Almeida

Repórter de Imagem

Lúcia Amorim

Lúcia Amorim

Editora de Imagem

Os investigadores consideram que pode ser um instrumento importante para medir a imunidade da vacina.

A novidade deste teste rápido está na utilização de um material sintético com características muito semelhantes à do SARS-COV-2, em vez de proteínas e anticorpos naturais, como é o caso dos testes já disponíveis no mercado.

A tecnologia consegue reconhecer, num processo que dura até 30 minutos, todos os anticorpos associados, mesmo os que estão em níveis muito reduzidos. Logo, os investigadores acreditam que terá uma alta fiabilidade.

Os próximos passos

Para já, ainda não estão a ser testadas amostras reais, mas o objetivo dos investigadores do ISEP é que o teste seja feito a partir da recolha de sangue ou saliva. Em contacto com o sensor, dá-se uma alteração da cor, de castanho para azul, quando há presença de anticorpos para a Covid-19. A análise é semi-quantitativa: a intensidade da gradação é proporcional à presença de anticorpos.

Passada a fase de prova de conceito, o dispositivo vai ser otimizado e validado. A conclusão do projeto está prevista para meados de 2021.
Ao ser comercializado pela indústria farmacêutica, o preço do teste deve rondar os 6 euros, já que utiliza materiais sintéticos e com baixo custo de produção.

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão