Coronavírus

Covid-19 nos EUA. Primeiros camiões prontos para transportar vacina da Pfizer

Camião que vai transportar a vacina da Pfizer nos Estados Unidos

TANNEN MAURY

A Pfizer está a usar contentores com gelo seco e sensores GPS para garantir que cada lote permanece mais frio do que o tempo na Antártica.

Saiba mais...

Os primeiros camiões que transportam a vacina contra a covid-19 para uso generalizado nos Estados Unidos estão prontos para sair de uma fábrica no Michigan, este domingo, prevendo-se que as doses cheguem aos diferentes estados um dia depois.

Às primeiras horas desta manhã, uma linha de montagem de trabalhadores começou por retirar as doses do frigorífico, encaixotando e carregando as unidades em paletes, para que pudessem ser colocadas em camiões na fábrica da Pfizer em Kalamazoo, Michigan.

O transporte da vacina Pfizer evidenciará o maior esforço de vacinação da história americana, num momento crítico da pandemia, que matou 1,6 milhões de pessoas e adoeceu 71 milhões em todo o mundo, refere a agência Associated Press.

Inicialmente, esperava-se que cerca de três milhões de doses fossem enviadas e, à medida que as infeções, as hospitalizações e as mortes disparam nos EUA, a prioridade são os profissionais de saúde e residentes de lares.

Acreditando-se que os números poderão piorar durante as férias, a vacina oferece uma esperança contra a pandemia que já matou perto de 300 mil americanos.

As autoridades federais afirmam que as primeiras remessas da vacina Pfizer serão escalonadas, chegando a 145 centros de distribuição esta segunda-feira, a 425 locais adicionais na terça-feira e os 66 restantes recebem as doses na quarta-feira.

A vacina, co-desenvolvida pelo parceiro alemão BioNTech, está a ser distribuída com base na população adulta de cada estado.

A UPMC, gigante da saúde da Pensilvânia, escolheu começar a vacinação por funcionários essenciais, disse Graham Snyder, que liderou a 'task force' do centro de vacinação.

"É muito entusiasmante. Ficarei emocionado, no momento em que administrarmos a primeira dose", disse Snyder no sábado.

A vacina está a ser enviada para hospitais e outros locais que podem armazená-la a temperaturas extremamente baixas - cerca de 94 graus abaixo de zero.

A Pfizer está a usar contentores com gelo seco e sensores GPS para garantir que cada lote permanece mais frio do que o tempo na Antártica.

As doses devem ser entregues em todos os locais de vacinação identificados pelos estados, como farmácias locais, dentro de três semanas, disseram autoridades federais.

Os 40 hospitais do Sistema de Saúde Oschner, em Louisiana e Mississippi, esperam receber mais de 9.000 doses nos próximos dias, disse Sandra Kemmerly, diretora médica de qualidade do hospital.

O governo reteve três milhões de doses para garantir que há vacinas suficientes para dar as duas doses necessárias às pessoas para proteção total contra a covid-19.

A Food and Drug Administration (FDA) autorizou o uso emergencial da vacina na sexta-feira, garantindo que é altamente protetora e não apresenta grandes problemas de segurança.

No entanto, os reguladores do Reino Unido estão a investigar várias reações alérgicas graves.

As instruções da FDA é que a vacina não seja administrada a pessoas com histórico conhecido de reações alérgicas graves a qualquer um dos seus componentes.

Outra vacina da Moderna será analisada por um painel de especialistas esta semana e logo depois poderá ser autorizada para uso público.

  • 1:57