Coronavírus

Covid-19. Londres anuncia novas ajudas financeiras para empresas em confinamento

Henry Nicholls

O ministro da Economia britânico, Rishi Sunak, anunciou um novo programa de ajudas financeiras de 4.927 milhões de euros.

Especial Coronavírus

O ministro da Economia britânico, Rishi Sunak, anunciou esta terça-feira um novo programa de ajudas financeiras de 4.927 milhões de euros (4.500 milhões de libras) para apoio às empresas afetadas pelo novo confinamento sanitário decretado em Inglaterra.

Em comunicado, o ministro explica que os empresários dos setores de hotelaria, retalhistas e locais de diversão podem solicitar novas ajudas até a um máximo de 9.862 euros (nove mil libras) por cada companhia.

Rishi Sunak acrescenta que o objetivo é apoiar as empresas e proteger os postos de trabalho num período de novas restrições contra a pandemia de covid-19 e que podem prolongar-se até à primavera.

De acordo com o ministro, o novo pacote de ajuda financeira vai auxiliar cerca de 600 mil empresas em todo o país.

Paralelamente, Sunak anunciou outro programa de 647 milhões de euros (594 milhões de libras) para as autarquias locais e administrações da Escócia, Gales e Irlanda do Norte destinados a ajudas a empresas que eventualmente não forem abrangidas pelo pacote global.

"A nova variante do vírus (covid-19) coloca-nos um grande desafio enquanto continuamos o processo de vacinação. Tivemos necessidade de endurecer as restrições", disse o ministro.

Durante os primeiros meses da pandemia, o Governo atuou com "rapidez para proteger vidas", considerou Sunak, acrescentando que a nova injeção financeira vai "ajudar as empresas a superar os meses que estão pela frente e aguentar os postos de trabalho de forma a que os trabalhadores possam estar preparados para regressar" quando se verificar a "reabertura" das companhias.

As ajudas governamentais vão ser calculadas em função da dimensão de cada "empresa, bar ou café". Desta forma, os apoios aos negócios de menor dimensão podem pedir até 4.381 euros (quatro mil libras) e as médias empresas 6.575 euros (seis mil libras).

Confinamento estrito, tal como em março

O Reino Unido voltou a impor o confinamento estrito, tal como em março, perante a propagação da nova variante do coronavírus e após ter registado um novo máximo de contágios: 548.784 novos casos, na segunda-feira.

O primeiro-ministro, Boris Johnson disse na segunda-feira à noite que a nova variante do vírus é 50 a 70% mais transmissível e que se está a propagar de "forma alarmante".

Por isso, o chefe do Governo instou os cidadãos a manterem-se em casa e saírem apenas "por motivos limitados" como "comprar bens essenciais, ajuda médica, fazer exercício ou para evitar situações de abuso doméstico".

A partir desta terça-feira e até meados de fevereiro, as aulas do ensino secundário e universitárias vão realizar-se de forma remota, pela internet. Os infantários vão manter-se a funcionar.