Coronavírus

Covid-19. Mais de metade dos concelhos portugueses em risco extremo de contágio

NUNO VEIGA / LUSA

Número quase triplicou nos primeiros 12 dias de janeiro. Saiba aqui em que nível de risco está o seu concelho.

Saiba mais...

O número de concelhos em risco extremo devido ao número de casos de covid-19 quase triplicou nos primeiros 12 dias de janeiro, passando de 57 para 155 (mais de metade dos 308 concelhos portugueses), segundo a análise divulgada esta segunda-feira sobre a incidência cumulativa.

Segundo o boletim epidemiológicos da Direção-Geral da Saúde (DGS), 155 concelhos registaram uma taxa de incidência de casos acumulados de infeção pelo novo coronavírus superior a 960 por 100 mil habitantes, entre 30 de dezembro de 2020 e 12 de janeiro.

No último relatório da DGS, com dados relativos ao período entre 23 de dezembro e 5 de janeiro, havia 57 concelhos com incidência de casos acumulados de infeção pelo novo coronavírus superior a 960 por 100 mil habitantes.

Saiba em que nível de risco está o seu concelho:

Na nota explicativa dos dados por concelhos é referido que a incidência cumulativa "corresponde ao quociente entre o número de novos casos confirmados nos 14 dias anteriores ao momento de análise e a população residente estimada".

Com zero casos de infeção estão quatro concelhos, menos três em relação aos dados anteriores: Corvo, Lajes das Flores, Lajes do Pico e São Roque do Pico, nos Açores.

EDUARDO COSTA

Portugal contabilizou hoje 167 mortes, um novo máximo de óbitos em 24 horas relacionados com a covid-19, e 6.702 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o boletim epidemiológico da DGS, Portugal ultrapassou hoje os nove mil mortos relacionados com a covid-19, desde o início da pandemia, em março de 2020, ao serem contabilizadas 9.028 mortes, e um total de 556.503 infeções pelo vírus SARS-CoV-2.

O boletim revela também que hoje foram ultrapassados os cinco mil internamentos hospitalares por covid-19, encontrando-se 5.165 pessoas internadas, mais 276 do que no domingo, das quais 664 em unidades de cuidados intensivos, ou seja, mais 17, dois valores que representam novos máximos da fase pandémica.

O número de internamentos está a subir desde o dia 1 de janeiro, dia em que estavam 2806 pessoas internadas.

Encontram-se igualmente ativos 135.886 casos de infeção, mais 1.875 do que no domingo.

As autoridades de saúde têm em vigilância 166.235 contactos, mais 5.115 relativamente ao dia anterior.

Mais 4.660 pessoas foram dadas como recuperadas, totalizando 411.589 desde março do ano passado.

Pedro Nunes