Coronavírus

Enfermeiro-diretor do Amadora-Sintra explica o que aconteceu no hospital

O Hospital Amadora-Sintra sofreu esta terça-feira uma sobrecarga na rede de oxigénio que serve os doentes covid-19. 

Saiba mais...

O enfermeiro-diretor do Hospital Amadora Sintra explicou esta terça-feira à noite que houve efetivamente uma falha na rede de oxigénio, o que obrigou à transferência de doentes para vários hospitais da região de Lisboa.

O enfermeiro revelou que os constrangimentos sentidos estão relacionados com o elevado número de doentes covid internados.

Rui Santos disse que "em momento algum" esteve em causa uma rutura na rede de fornecimento de oxigénio do hospital. Garantiu também que não houve uma falta de oxigénio na mesma rede.

"Em momento algum esteve colocada em causa a segurança destes doentes."

Os doentes vão ser transferidos para unidades de saúde da região de Lisboa e Vale do Tejo, como o Santa Maria, Setúbal, Egas Moniz e o hospital de campanha no Estádio Universitário.

Nenhum dos doentes transferidos estava nos cuidados intensivos, de acordo com Rui Santos, que adiantou que estavam todos em enfermaria.