Coronavírus

DGS clarifica processo de vacinação depois de verificadas irregularidades na toma de vacinas

Lista de pessoas a convocar se sobrarem vacinas passa a ser obrigatória.

A norma da Direção-Geral de Saúde foi atualizada e pretende, assim, pôr termo ao uso abusivo da vacina.

A DGS lembra que a administração de vacinas é organizada de forma a evitar o desperdício de doses e diz que as doses sobrantes em cada sessão devem ser utilizadas em qualquer pessoa elegível dentro da fase em curso.

É obrigatório, a partir de agora, a elaboração de uma lista de pessoas que devem ser convocadas, caso sobrem doses da vacina para a covid-19, sublinhando que deve ser sempre respeitada a ordem das prioridades.

Esta inclusão da obrigatoriedade de uma lista de pessoas a convocar no caso de sobrarem doses nas sessões de vacinação surge depois da polémica sobre o uso indevido destas doses em pessoas que não pertenciam a grupos prioritários, situações que já estão a ser investigadas pela Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) e pelo Ministério Público.

Caso não seja possível esta estratégia, a norma diz que, para evitar desperdício, as doses sobrantes devem ser usadas para vacinar profissionais de saúde ainda não vacinados.

Até segunda-feira tinham sido vacinadas contra a doença 396.371 pessoas em Portugal, das quais 104.613 já com a segunda dose, segundo dados da DGS.

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros