Coronavírus

"Não haverá festejos de Carnaval e a Páscoa também não será a Páscoa que nós conhecemos"

António Costa defende que este não é o momento para se começar a discutir um desconfinamento, seja ele total ou parcial.

Saiba mais...

O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira ser necessário manter o atual nível de confinamento, para fazer face à pandemia da covid-19, durante pelo menos os próximos 15 dias, admitindo a possibilidade de se estender durante o mês de março.

António Costa assegurou que não haverá festejos de Carnaval e, à semelhança do ano passado, o Governo prevê que as restrições possam condicionar a celebração da Páscoa.

Em tom de alerta, o primeiro-ministro explica ainda que, apesar dos bons resultados que o confinamento está a produzir, ninguém sabe nem pode garantir que novas variantes do vírus venham a surgir, razão pela qual volta a sublinhar a importância de continuar a cumprir as medidas em vigor.

Apesar dos resultados positivos, António Costa deixa um alerta: "a situação continua a ser extremamente grave", apontando que Portugal continua a registar números superiores a 960 infetados por 100 mil habitantes numa incidência cumulativa dos últimos 14 dias.