Coronavírus

Covid-19. Governo está a ser pressionado a iniciar desconfinamento

Uma carta aberta entre ao Executivo e ao Presidente da República pede a abertura das escolas faseadamente no início de março.

Saiba mais...

A pressão sobre o Governo para que comece o desconfinamento já no início de março está a aumentar e vem de vários lados. Mas o Executivo insiste que ainda não é tempo para discutir esse cenário.

Uma dúzia de estados de emergência, não fica mais barata a missão do Governo. A melhoria dos números pressiona o Executivo de António Costa para começar a abrir a porta ao desconfinamento, assim como a oposição, a sociedade e a economia.

Esta terça-feira, o Governo e o Presidente da República receberam uma carta aberta assinada por uma centena de pais, professores, médicos, epidemiologistas e investigadores, onde pedem a reabertura urgente e faseada das escolas a começar já no início de março.

A proposta começa pelas creches, pelo pré-escolar e segue com a reabertura gradual do ensino básico com o regresso às aulas do 1,º e 2.º ciclos. Defendem que já ficou claro que as escolas não são contextos relevantes de infeção e propõem medidas para um regresso com segurança.

Entre as medidas, incluem um maior desfasamento dos horários de entrada e saída dos alunos e a realização de rastreios periódicos e testes rápidos de antigénio. Para além disso defendem a vacinação prioritária de professores e auxiliares e o uso obrigatório de máscara a partir dos seis anos.

Mesmo antes de ter recebido a carta, o Governo – que continua a não querer falar de desconfinamento – já admitiu que as escolas serão uma prioridade. A grande questão é quando isso irá acontecer: sabendo que a reabertura das escolas implica uma maior circulação de pessoas e uma multiplicação de contactos, ninguém quer reabrir para ter de voltar a fechar logo depois.

  • Mussolini: o pai dos populistas

    Extremos

    Antonio Scurati descreve Mussolini como "o primeiro líder populista da História". O líder fascista "é sem dúvida um ditador, mas foi também o ideólogo da tipologia de liderança populista que ainda hoje domina a cena política", conta o professor e investigador italiano à equipa Extremos

    Maria Rodrigues e Rita Murtinho