Coronavírus

Mais de 60% das empresas estão com quebras na faturação

Inquérito do INE e do Banco de Portugal revela que mais de metade das microempresas não aguenta mais seis meses sem apoios adicionais.

Saiba mais...

Ainda sem data para reabrir o comércio e a restauração, as associações do setor estão preocupadas com o futuro. Defendem que alguns negócios já deviam ter as portas abertas e pedem para ser dos primeiros a desconfinar.

Ontem, o primeiro-ministro disse que ainda não é tempo para relaxar mas reconheceu o custo muito alto das medidas. E um inquérito realizado pelo Instituto Nacional de Estatística e pelo Banco de Portugal é revelador disso mesmo. Mais de 60% das empresas estão com quebras na faturação e, para a maioria, o volume de negócios está num nível igual ao do primeiro confinamento.

A realidade é mais preocupante entre as microempresas, já que apenas 48% dizem ter capacidade para sobreviver mais seis meses nestas condições.


  • "Quando cheguei ao hospital estava a ter um enfarte"

    Olhar pela Saúde

    Anos a fio de uma alimentação à base de gorduras e excesso de sal, tabagismo e sedentarismo fizeram com que José Santos fosse parar a uma cama de hospital aos 48 anos. O diagnóstico: enfarte agudo do miocárdio provocado por colesterol elevado e hipertensão arterial. Vários hábitos tiveram de mudar e as idas ao médico passaram a ser mais frequentes.

    Exclusivo Online

    Bárbara Ferreira

  • 2:33