Coronavírus

Que linhas vermelhas vão ditar o desconfinamento?

O caminho que vários países estão a seguir para suavizar restrições não é linear.

Portugal terá em atenção vários fatores para desconfinar, nomeadamente, o número de novos casos, o ínidice de transmissibilidade e a capacidade de internamento.

A Escola Nacional de Saúde Pública em colaboração com a Direção Geral da Saúde e a Universidade Nova de Lisboa analisaram os critérios de 10 países e encontraram 10 abordagens diferentes para aliviar restrições. Destes 10 países, todos fazem mistura de indicadores qualitativos e quantitavos, exceto a Irlanda.

Portugal terá de encontrar a equação perfeita até 11 de março, data da apresentação do plano de desconfinamento.

A linha vermelha deverá situar-se entre os 20 e os 25 casos por cem mil habitantes em duas semanas cumulativas e menos de 200 doentes nos cuidados intensivos.