Coronavírus

Governo avança com testes rápidos nas escolas de todo o país. Autorizados quase 20 M€

Canva

Aprovado este domingo em Conselho de Ministros.

Saiba mais...

O Conselho de Ministros aprovou este domingo, numa reunião extraordinária, a aquisição de testes rápidos de antigénio destinados às escolas.

A resolução, que foi aprovada de forma eletrónica, autoriza a realização de despesa, por parte da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares e do conselho diretivo do Instituto da Segurança Social, para a aquisição de serviços de realização de testes rápidos de antigénio em estabelecimentos de educação e ensino públicos e em respostas sociais de apoio à infância do setor social e solidário, até um montante de 19,8 milhões de euros.

É uma das medidas no âmbito ao plano de desconfinamento, que deverá começar pela reabertura das escolas.

"Desta forma, o Governo pretende preparar a reabertura gradual e sustentada das atividades presenciais, dando continuidade à implementação da Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2 2020", explica o Conselho de Ministros, em comunicado.

Na quinta-feira, em declarações à agência Lusa, representantes das associações de pais e diretores escolares ressalvaram que as escolas estão preparadas para reabrir, mas pediram mais testes de rastreio à covid-19 e, eventualmente, a vacinação dos profissionais para reforçar a confiança.

Testagem nas escolas alargada a todo o país

A Cruz Vermelha, que tem realizado testes nas escolas de acolhimento para filhos de pessoas com profissões essenciais, já tinha dito que foi contactada pelo Governo para manter o plano de testagem em todas as escolas a nível nacional.

Os testes rápidos de antigénio têm sido feitos, sobretudo a funcionários e professores num total de mais de 60 mil testagens

A intenção de aumentar o número testes nas escolas já tinha sido avançada, na semana passada, pela ministra da Saúde, numa entrevista à SIC.

  • 2:55