Coronavírus

Farmacêutica portuguesa desenvolve medicamento para tratamento da covid-19

Radoslav Zilinsky

Bluepharma vai recrutar cem profissionais para a nova unidade em Eiras.

Saiba mais...

A farmacêutica portuguesa Bluepharma, sediada em Coimbra, está a desenvolver um medicamento para o tratamento da covid-19, revelou à agência Lusa o presidente da empresa, Paulo Barradas Rebelo.

"Está aprovado o financiamento e estamos a fazer o desenvolvimento do medicamento para a covid", disse o responsável, escusando-se a adiantar mais informação.

Paulo Barradas Rebelo explicou que, como empresa que desenvolve medicamentos, a Bluepharma coloca "uma força muito grande em Investigação e Desenvolvimento (I&D)".

"Separamos bem o 'I' do 'D'. A investigação é de maior risco, leva mais tempo, requer muito investimento. Não deixamos de fazer o investimento, mas doseamo-lo", contou.

Da verba alocada a (I&D) -- acrescentou o presidente da farmacêutica - "15% são para investigação e 85% para desenvolvimento".

"O desenvolvimento é muito importante para nós e é uma área que emprega gente muito qualificada. Temos 130 cientistas muitos qualificados a trabalhar em I&D", sublinhou.

Farmacêutica recruta cem profissionais para nova unidade

A farmacêutica portuguesa Bluepharma está a recrutar cem profissionais para a nova unidade industrial de Eiras, em Coimbra, que deverá estar a funcionar até ao final do ano.

Ao completar 20 anos de atividade, a Bluepharma tem em curso vários projetos, como a ampliação das atuais instalações em São Martinho (Coimbra) e a construção da nova unidade industrial em Eiras, num investimento global de perto de 50 milhões de euros.

"Este ano vamos recrutar cem pessoas. Vamos recrutá-las para aqui, para as prepararmos e depois migrarem para a nova unidade industrial de Eiras", explicou.

Segundo o responsável, a Bluepharma procura farmacêuticos, químicos, biólogos e engenheiros, que serão preparados "para os novos desafios que se avizinham já no curto prazo".

Neste momento, a Bluepharma está a receber as candidaturas e, "dentro de dois ou três meses", esses profissionais já poderão estar na empresa.

"Queremos, no final do ano, já ter pessoas na nova unidade industrial, especializada em medicamentos de alta atividade terapêutica, nomeadamente vocacionada para o cancro", afirmou.

Paulo Barradas Rebelo contou que a Bluepharma tem sido "muita ativa a recrutar", tendo o grupo 750 funcionários, 600 dos quais em Coimbra.

"Evoluímos de 58 pessoas, quando adquirimos há 20 anos a unidade industrial à Bayer, para este grupo de 20 empresas que empregam 750 pessoas", frisou.

A Bluepharma é uma empresa de capitais portugueses, com sede em Coimbra, que iniciou a sua atividade em fevereiro de 2001, depois de um grupo de profissionais ligados ao setor ter adquirido a unidade industrial pertencente à multinacional alemã Bayer.

O presidente da farmacêutica sublinhou a "mais valia" que tem sido estar em Coimbra, próximo da universidade, de onde são provenientes 65% dos quadros da empresa.

"Temos acesso a mão-de-obra muito qualificada, estamos no centro da indústria farmacêutica e, portanto, a inovação e o conhecimento são duas palavras-chave na nossa estratégia", referiu.

Paulo Barradas Rebelo avançou à Lusa que, dentro de dois meses, deverá ser lançada a primeira pedra do Bluepharma Park, que dará origem ao maior parque tecnológico do 'cluster' farmacêutico a nível nacional, com um investimento de mais de 150 milhões de euros.

O Bluepharma Park é "um conjunto de unidades industriais para desenvolver nos próximos dez anos", explicou, acrescentando que, neste momento, está a ser finalizado o caderno de encargos.

"Vamos começar pela plataforma logística e depois iremos avançando com as restantes obras", contou o responsável, exemplificando com "a fábrica de injetáveis complexos" e "a nova zona de embalamento da fábrica", que passará a ser no parque.