Coronavírus

GNR interceta autocarro com 50 estrangeiros que entrou em Portugal em ponto não autorizado

GNR

Autocarro entrou em Portugal pela fronteira do Marco, no concelho de Arronches, distrito de Portalegre, um ponto de passagem não autorizado.

Saiba mais...

A GNR intercetou esta segunda-feira um autocarro com 50 passageiros estrangeiros que entrou em Portugal pela fronteira do Marco, no concelho de Arronches, distrito de Portalegre, ponto de passagem não autorizado, disse fonte daquela força de segurança.

Segundo a mesma fonte, o autocarro, com dois condutores, também estrangeiros, foi encaminhado ao início da tarde para a fronteira do Caia, em Elvas, também no distrito de Portalegre, para ser fiscalizado por elementos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), devido ao controlo de pessoas nas fronteiras entre Portugal e Espanha, no âmbito da pandemia de covid-19.

Fonte policial indicou à agência Lusa que 48 passageiros ficaram na fronteira, em território de Espanha, para a sua situação ser analisada pela polícia espanhola, o SEF ficou responsável por verificar a situação de duas pessoas e outras duas foram autorizadas a permanecer em Portugal.

O Ministério da Administração Interna anunciou no domingo que o controlo de pessoas nas fronteiras terrestres e fluviais entre Portugal e Espanha vai manter-se até 15 de abril devido à pandemia de covid-19.

A circulação entre Portugal e Espanha nos 18 pontos de passagem autorizados (PPA) está limitada ao transporte internacional de mercadorias, de trabalhadores transfronteiriços e de caráter sazonal devidamente documentados, e de veículos de emergência e socorro e serviço de urgência.

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros