Coronavírus

OMS ainda não apoia passaportes de vacinação

O novo "passaporte covid-19" emitido pelas autoridades dinamarquesas.

Ritzau Scanpix Denmark

Há dúvidas sobre se a inoculação impede a transmissão do novo coronavírus.

Saiba mais...

A Organização Mundial de Saúde(OMS) não apoia a exigência passaportes de vacinação para entrar ou sair dos países dada a incerteza sobre se a inoculação impede a transmissão do novo coronavírus, além de trazer preocupações sobre quidade, disse uma porta-voz da agência da ONU.

"Consideramos que nesta fase não não gostaríamos que o passaporte de vacinação fosse um requisito para entrada ou saída porque não temos certeza se a vacina previne a transmissão", disse a porta-voz da OMS Margaret Harris.

"Existem todas essas questões, além da questão da discriminação contra as pessoas que não podem receber a vacina por um motivo ou outro".

A OMS vai agora rever as vacinas chinesas contra a covid-19 Sinopharm e Sinovac para uma possí­vel utilização de emergência no final de abril, acrescentou a porta-voz da OMS numa conferência de imprensa.

Estas vacinas "não estão a chegar tão rápido quanto esperávamos porque precisamos de mais dados", disse, recusando-se a fornecer mais informações por razões de confidencialidade.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, apelou no mês passado aos países com reservas em excesso de vacina para doar 10 milhões de doses com urgência para a plataforma da COVAX. As restrições à exportação da Índia deixaram o programa de entrega de vacinas com menos vacinas da AstraZeneca, fabricada pelo Serum Institute da Índia.


Mais de 2,8 milhões de mortos em todo o mundo

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.862.002 mortos no mundo, resultantes de mais de 131,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os países que contabilizam um maior número de casos e mortes são os Estados Unidos, o Brasil, o México, a Índia e o Reino Unido.

Em Portugal, morreram 16.885 pessoas dos 823.494 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

A grande maioria dos pacientes recupera, mas uma parte evidencia sintomas por várias semanas ou até meses.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global