Coronavírus

Covid-19. Testes gratuitos em Lisboa passam a poder ser feitos por não moradores

Eric Gaillard

Deixa também de haver limite de dois testes mensais.

Saiba mais...

O plano de testagem à covid-19 implementado em Lisboa deixou de estar limitado a dois testes mensais por pessoa e passa também a estar aberto a não moradores. O objetivo é reforçar a testagem em massa.

“O Plano Municipal de Testagem de Lisboa COVID 19, a funcionar em 110 farmácias aderentes, deixou de estar limitado a dois testes mensais por morador na cidade de Lisboa, passando a oferecer um número de testes ilimitados, independentemente de ser ou não residente em Lisboa.”

Em comunicado, a Câmara Municipal de Lisboa informa também o número de testes realizados nas farmácias e postos móveis duplicou na última semana, passando de uma média diária de 1.000 testes para 3.500.

O reforço na testagem em massa acontece também com o aumento da rede de pontos móveis de testagem, que conta com 17 pontos.

“Equipas dos serviços de proteção civil municipal de Lisboa estarão presentes a partir de hoje, segunda-feira, nas principais artérias comerciais a sensibilizar, porta a porta, o comércio local e restauração para a necessidade de testar os seus funcionários.”

Variante Delta a subir em Lisboa

Está a aumentar a prevalência da variante Delta, associada à Índia, na região de Lisboa e Vale do Tejo. Os dados preliminares do Instituto Ricardo Jorge apontam para uma prevalência superior a 60%. Contudo, o instituto de saúde pública adiante que os resultados sugerem que a variante Delta com esta mutação adicional "não ganhou expressão relevante em Portugal".

Governo quer travar cadeias de transmissão com limitações

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde explicou que as limitações de circulação impostas à Área Metropolitana de Lisboa (AML), devido à pandemia, visam inibir as atuais cadeias de transmissão, numa zona de muita população e mobilidade.

"Lisboa tem uma zona de grande densidade populacional, grande mobilidade e grandes movimentos pendulares que, de alguma forma, contribuem para uma maior dispersão do próprio vírus e, por isso, o que o Governo fez foi tentar contrariar essa situação através de uma forma proativa, preventiva e articulada entre si de forma a que pudesse inibir essa cadeia de transmissão", disse secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales.

O governante assumiu que, neste momento, a decisão foi "sensata e correta", falando num processo que se ajusta à própria evolução epidemiológica.

Lisboa poderá ultrapassar linha vermelha em duas semanas

Lisboa e Vale do Tejo pode ultrapassar 240 casos de infeção com o novo coronavírus por 100 mil habitantes em 15 dias e a variante Delta deve sobrepor-se nas próximas semanas, narra a análise de risco da pandemia.

"O Rt (índice de transmissibilidade do vírus) apresenta valores superiores a 1 ao nível nacional (1,14) e em todas as regiões de saúde, sugerindo uma tendência crescente. Esta tendência crescente é mais acentuada na região de Lisboa e Vale do Tejo, que apresenta um Rt de 1,20", adianta o relatório das "linhas vermelhas" da pandemia de covid-19 divulgado na sexta-feira.

Segundo o documento da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), mantendo-se este ritmo de crescimento de infeções, o tempo para atingir a taxa de incidência acumulada a 14 dias de 120 casos por 100 mil habitantes será inferior a 15 dias a nível nacional e no Algarve.