Coronavírus

Covid-19. Passageiros vindos do Reino Unido sujeitos a quarentena para entrar em Portugal

Canva

Reino Unido junta-se à África do Sul, Brasil, Índia, e Nepal.

Saiba mais...

O Reino Unido foi incluído na lista de países cujos cidadãos serão sujeitos a quarentena de 14 dias após entrada em Portugal continental, determina um despacho hoje publicado pelo Governo, que entra em vigor na segunda-feira.

Os passageiros provenientes do Reino Unido poderão, contudo, ficar dispensados de confinamento "se munidos de comprovativo de vacinação realizada nesse país, e que ateste o esquema vacinal completo do respetivo titular, há pelo menos 14 dias, com uma vacina contra a covid-19 com autorização de introdução no mercado nos termos do Regulamento (CE) n.º 726/2004", lê-se no despacho.

O despacho 6326-A/2021, publicado no Diário da República, no 1º suplemento, da série II de hoje, inclui as listas dos países e das competições desportivas internacionais a que se aplicam as regras em matéria de tráfego aéreo, aeroportos, fronteiras terrestres, marítimas e fluviais.

A essa lista de países - até agora composta pela África do Sul, Brasil, Índia, e Nepal - junta-se o Reino Unido, cujos cidadãos dali provenientes também deverão cumprir, após a entrada em Portugal continental, "um período de isolamento profilático de 14 dias, no domicílio ou em local indicado pelas autoridades de saúde".

No mesmo diploma é incluída a lista dos países e das regiões administrativas "cuja situação epidemiológica esteja de acordo com a Recomendação (UE) 2020/912 do Conselho, de 30 de junho de 2020, e respetivas atualizações, cujo tráfego aéreo de e para Portugal continental se encontra autorizado, sob reserva de confirmação da reciprocidade".

Nessa lista estão incluídos a Albânia, Austrália, Coreia do Sul, Estados Unidos da América, Israel, Japão, Líbano, Nova Zelândia, Ruanda, Singapura, Tailândia, República do Norte da Macedónia, República Popular da China, Sérvia, Taiwan, e as regiões administrativas especiais de Hong Kong e Macau.

  • Esqueçam o atrás...

    Tenham noção

    O recado de Rodrigo Guedes de Carvalho sobre redundâncias. Tenham noção que dizer ou escrever "há cinco anos atrás", "subir para cima" ou "descer para baixo" é desnecessário.

    SIC Notícias