Coronavírus

Empresários da diversão itinerante organizam vigília em frente à casa de Marcelo

Exigem ao Governo que os deixe regressar ao trabalho para poderem sobreviver.

Saiba mais...

Os empresários de diversão itinerante estão a manifestar-se contra as restrições impostas pelo Governo. Dizem que estão a ser ignorados e exigem regressar ao trabalho para poderem sobreviver.

A meio de maio receberam luz verde para retomarem a atividade, mas, com o agravar da pandemia, o Executivo voltou atrás. A 9 de junho decretou o encerramento dos equipamentos de diversão nos municípios com risco elevado.

A única coisa que estes empresários pedem é para voltar ao trabalho. Sem apoios do Governo, têm sobrevivido de empréstimos e com a ajuda de amigos e familiares. A Associação Portuguesa dos Itinerantes Certificados diz que o setor só está a trabalhar em Aveiro, na Figueira da Foz e em Vila Real de Santo António.

Os empresários da diversão itinerante continuam a manifestar-se em Lisboa. Para a noite desta quarta-feira está marcada uma vigília junto à residência civil do Presidente da República, em Cascais.

Veja mais: