Coronavírus

Covid-19. OMS e EUA rejeitam terceira dose da vacina

Pfizer diz que é essencial para reforçar a imunidade perante a ameaça da variante Delta.

Saiba mais...

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e os Estados Unidos dizem que para já não é necessária uma terceira dose da vacina, ainda para mais quando tantos nem uma tem.

A Pfizer diz que é essencial para reforçar a imunidade perante a ameaça da variante Delta. A farmacêutica avança que vai pedir autorização aos Estados Unidos para fazer chegar a terceira dose aos braços dos norte-americanos, mas para já a Administração Biden não parece convencida.

Israel já começou a administrar a terceira dose a pessoas com risco imunológico, como por exemplo os que fizeram um transplante há pouco tempo. Agora, e apesar de quase 60% da população estar completamente imunizada, o país conta 450 novos casos diários, ainda que raras as mortes.

As autoridades de saúde norte-americanas avisam que a vacina da Johnson & Johnson pode levar a aumento do risco de um síndrome raro, mas recuperável, o síndrome Guillain-Barré. Trata-se de fraqueza muscular e perda de sensibilidade nas pernas e braços. É uma situação fora do comum e da qual a maioria dos que passou pelo problema já recuperou.