Coronavírus

Covid-19. Atrasos nos rastreios de contactos com infetados

De 24 a 30 de junho, só foram rastreados 74 por cento dos contactos.

Saiba mais...

Na última semana de junho, um quarto dos contactos das pessoas infetadas com covid-19 não foi rastreado. Os dados são do mais recente relatório das linhas vermelhas.

De 24 a 30 de junho, só foram rastreados 74 por cento dos contactos apesar de ter subido o número de profissionais de saúde alocados aos rastreios.

Segundo o jornal Público, há várias explicações para a capacidade de resposta ter descido.

A tardia mobilização de recursos ou o cansaço, tanto dos profissionais de saúde, como da população em geral, que tem menos disponibilidade para dar as informações necessárias para um rastreio eficaz.

Segundo o jornal, há ainda outras dúvidas a que o relatório da DGS não responde. Se quem está a fazer os rastreios só está alocado a esse trabalho e em que zonas do país é que a capacidade de resposta é mais baixa.

Em Lisboa e Vale do Tejo, por exemplo, já houve dificuldades na identificação dos contactos das pessoas infetadas quando o número de casos de covid subiu na região.