Coronavírus

Aquele que se acreditava ser o paciente zero da covid-19 em Portugal não transmitiu o vírus

Radoslav Zilinsky

Há mais três "suspeitos" que podem ser o paciente zero do primeiro surto de covid-19 em Portugal.

Saiba mais...

Aquele que se acreditava ser o paciente zero da covid-19 em Portugal afinal não infetou ninguém.

O empresário que foi a Milão tinha uma variante do coronavírus que não foi detetada em nenhum outro dos contactos próximos diagnosticados com covid-19.

A conclusão é de uma equipa de investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (I3S) da Universidade do Porto e do Hospital de S. João.

A genética do vírus permitiu aos cientistas desvendar uma nova versão do primeiro surto da pandemia em Portugal, detetado entre trabalhadores e familiares ligados a uma empresa de calçado em Lousada, no final de fevereiro do ano passado.

Não houve apenas uma viagem a Milão para uma feira de calçado com dois elementos da empresa, mas sim duas viagens e em cada uma delas foram e voltaram duas pessoas.

Sabe-se agora também que foram dois, e não apenas um, os almoços de família que serviram para alastrar a infeção.

A investigação revelou que qualquer um dos outros três viajantes pode ser considerado o "paciente zero" da covid-19 em Portugal e reforça a importância de seguir o rasto ao vírus para travar cadeias de transmissão.

ESPECIAL NOVO CORONAVÍRUS