Coronavírus

Covid-19. Em Portugal há 146 farmácias onde se pode fazer o teste rápido de antigénio gratuito

Canva

Os testes rápidos de antigénio são 100% comparticipados pelo Estado desde o dia 1 de julho, e cada pessoa pode fazer até quatro por mês.

Saiba mais...

Em Portugal, há 146 farmácias em que pode fazer o teste rápido de antigénio (TRA) de forma gratuita, de acordo com uma lista publicada pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge.

Os testes rápidos de antigénio são 100% comparticipados pelo Estado desde o dia 1 de julho, e cada pessoa pode fazer até quatro por mês.

Em causa estão os testes rápidos de antigénio para detetar a covid-19 realizados em farmácias e laboratórios.

A medida, publicada em Diário da República, define um valor máximo de 10 euros por teste. Ou seja, este é o valor máximo que farmácias ou laboratórios poderão cobrar ao Estado.

No entanto, o regime previsto na portaria não se aplica a utentes:

  • "Com certificado de vacinação, que ateste o esquema vacinal completo do respetivo titular, há pelo menos 14 dias, com uma vacina contra a COVID-19 com autorização de introdução no mercado;
  • Com certificado de recuperação, que ateste que o titular recuperou de uma infeção por SARS-CoV-2, na sequência de um resultado positivo num teste molecular de amplificação de ácidos nucleicos (TAAN) realizado há mais de 11 dias e menos de 180 dias;
  • Menores de 12 anos."

Aumenta para 212 número de concelhos com incidência acima dos 120 casos

Portugal tem esta sexta-feira 212 concelhos com uma incidência superior a 120 casos de infeção pelo vírus SARS-COV-2 por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, mais 37 do que na última sexta-feira.

Estes 212 concelhos que estão acima do limite de incidência de 120 novos casos representam cerca de 68% do total dos municípios do país, quando, na última sexta-feira, este valor estava nos 56%.

Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) hoje divulgado, sete concelhos ultrapassaram uma incidência cumulativa a 14 dias - entre 01 e 14 de julho - de mais de 960 casos por cem mil habitantes.

Acima deste limiar máximo, de acordo com as categorias definidas pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC), mantêm-se Albufeira (1.553 casos por 100 mil habitantes), Loulé (1.120) e, a partir de agora, Lagos (1.034), Pedrogão Grande (966), Portimão (1.137), São Brás de Alportel (983) e Sines (1.335).

Os dados da DGS indicam ainda que, nos últimos 14 dias, 77 concelhos ultrapassaram os 240 casos de infeção por 100 mil habitantes, enquanto outros 36 apresentam entre 480 e 959,9 casos por 100 mil habitantes.