Coronavírus

Variante Delta coloca em causa estratégia australiana de confinar, rastrear e isolar

Na Austrália, pouco mais de 10 por cento da população tem a vacinação completa.

Saiba mais...

Milhares de australianos desafiaram as medidas de confinamento para protestar em Sidney contra as restrições impostas pelo Governo. Dezenas de manifestantes foram detidos e houve confrontos com a polícia.

As manifestações deste sábado acontecem quando a Austrália e Sidney, em particular, enfrentam a fase mais crítica da pandemia e dias depois de se saber que as medidas de confinamento, impostas no final de junho, vão ser estendidas até meados de julho.

Depois de sucessivos confinamentos, alguns decididos depois de serem conhecidos menos de 10 casos de infeção, mais de metade dos 25 milhões de australianos estão fechados em casa, num continente cada vez mais isolado do resto do mundo.

A estratégia australiana: confinar, rastrear e isolar, que inicialmente se mostrou eficaz, pode revelar-se frágil perante a variante Delta e o cansaço pandémico, sobretudo porque não houve uma aposta na vacinação.

Pouco mais de 10 por cento da população tem a vacinação completa, uma percentagem muito baixa quando comparada com a de outras economias igualmente prósperas e que começam agora a dar passos em direção a uma certa normalidade.

Quase nos antípodas de Sidney, em Paris, também houve protestos, mas contra o chamado passe sanitário exigido agora para a entrada em boa parte dos locais públicos. A medida, contestada pelos manifestantes, está a fazer aumentar a procura por vacinas.

Apesar desta estratégia de combate aos movimentos anti-vacinas, França é o país europeu com a maior percentagem de pessoas de risco não-vacinadas.