Coronavírus

Covid-19: “Ser infetado tem um efeito muito benéfico na construção da imunidade natural”, diz Pedro Simas

Covid-19: “Ser infetado tem um efeito muito benéfico na construção da imunidade natural”, diz Pedro Simas

O virologista defende que é necessário “desmitificar o medo de estar infetado” e afirma que a testagem massiva “está quase a criar uma sociedade distópica”.

Dois anos depois da chegada do novo coronavírus à Europa, Pedro Simas, virologista no Instituto de Medicina Molecular, faz um balanço da pandemia, da vacinação e da imunidade natural como proteção contra a covid-19.

O especialista sublinha que a cobertura vacinal é um fator importante para controlar a pandemia, tendo como argumento os números de internados e de pacientes em cuidados intensivos “que têm estado incrivelmente estáveis”. “Isso dá-nos uma grande segurança”, sublinha.

Sobre o número novos casos, Pedro Simas afirma que este “está muito alto porque testamos muito“, acrescentando que “esta testagem massiva está quase a criar uma sociedade distópica“.

“O que eu acho, como virologista, é que devemos voltar praticamente à normalidade, já o devíamos ter feito antes. Abrir a sociedade toda, proteger os grupos de risco com as terceiras doses todos os anos – é previsível que façamos da mesma forma que já o fazemos para a gripe. E, nesta fase que é transitória, talvez testar, mas só num contexto hospitalar, eventualmente alguma autogestão das famílias com autotestes. Mas temos de abrir a sociedade.”

Pedro Simas afirma que não é previsível que as medidas voltem a ficar mais apertadas nem que apareça uma nova variante capaz de destruir as defesas que a população já tem. Por essa razão, o virologista explica que é necessário “desmitificar o medo de estar infetado“.

“Preparar a sociedade portuguesa e desmitificar o medo de estar infetado com covid-19. Todos vamos ser infetados, vai fazer parte das nossas vidas e ser infetado, neste momento, tem um efeito muito benéfico na construção da imunidade natural e na entrada da verdadeira endemia”, afirma.

Tendo por base o número de portugueses que já foram diagnosticados com covid-19 – que ronda os dois milhões – e sublinhando que muitos casos podem nunca ter sido identificados, Pedro Simas considera que “estamos numa situação extremamente boa em Portugal” no que à imunidade natural diz respeito.

Saiba mais:

Últimas Notícias
Mais Vistos