Coronavírus

Moderna acusa Pfizer e BioNTech de violarem patentes para vacina mRNA

Moderna acusa Pfizer e BioNTech de violarem patentes para vacina mRNA
Justin Sullivan/Getty Imagens

Duas ações foram movidas nos EUA e na Alemanha.

A farmacêutica Moderna avançou com ações judicias nos EUA e na Alemanha contra as concorrentes Pfizer e a BioNTech, alegando que violaram as patentes para desenvolver a vacina contra a Covid-19.

"A Moderna acredita que a vacina Comirnaty, da Pfizer/BioNTech, infringe as patentes que a Moderna depositou entre 2010 e 2016 cobrindo a tecnologia de mRNA (...). Uma tecnologia inovadora [e que] foi fundamental para o desenvolvimento da vacina contra a covid-19 da Moderna, Spikevax", lê-se no comunicado da empresa.

Nas ações movidas no tribunal distrital dos EUA em Massachusetts e no tribunal regional em Dusseldorf, na Alemanha, a Pfizer e a BioNTech são acusadas de "copiar essa tecnologia, sem a permissão da Moderna, para fazer o Comirnaty".

A tecnologia de mRNA usada nas vacinas Moderna e Pfizer-BioNTech é diferente das vacinas tradicionais, que dependem da injeção de formas enfraquecidas ou mortas de um vírus para permitir que o sistema imunológico o reconheça e construa anticorpos.

Estas vacinas fornecem instruções às células para construir um pedaço inofensivo da proteína spike encontrada na superfície do vírus que causa o Covid-19. Depois de criar essa proteína, a spike, as células podem reconhecer e combater o vírus real.

Últimas Notícias
Mais Vistos