Coronavírus

Como a covid-19 pode afetar a respiração a longo prazo: médicos identificam três situações

Como a covid-19 pode afetar a respiração a longo prazo: médicos identificam três situações
MR.Cole_Photographer

Médicos identificam algumas formas de como a covid-19 pode causar danos nos pulmões dos doentes a longo prazo.

A "covid longa" pode aparecer até três meses após a infeção e durar pelo menos dois meses, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Nos Estados Unidos um em cada cinco adultos que tiveram covid-19 desenvolveram “covid longa”. Os estudos já realizados indicam que os principais sintomas são a nível cognitivo, como ansiedade, depressão, perda de memória, fadiga, falta de ar, tosse e distúrbios do sono.

A comunidade cientifica tenta agora perceber como funciona o organismo da pessoa que teve covid-19 e como são sentidos os efeitos causados pela doença.

Dois médicos da Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos, Jeffrey Sturek e Alexandra Kadl, reuniram num artigo, publicado no portal The Conversation, algumas formas de como a covid-19 causar danos nos pulmões dos doentes a longo prazo.

O bom funcionamento das vias respiratórias e dos fluxos sanguíneos é fundamental para a função pulmonar básica e, caso existam danos ao longo das vias respiratórias, poderão surgir perturbações pulmonares.

Segundo estes especialistas, alguns sintomas da "covid longa" podem ser desencadeados por falhas na função respiratória. Foram identificadas três situações que podem provocar um funcionamento menos eficaz dos pulmões e todas elas podem ser causadas pela covid-19.

Obstrução das vias respiratórias

Uma situação que pode contribuir para o aparecimento de sintomas de "covid longa" é a obstrução das vias respiratórias, ou seja uma diminuição do fluxo de ar.

Os médicos Jeffrey Sturek e Alexandra Kadl identificaram vários doentes que tiveram covid-19 com esta condição e sugerem que recorram ao uso de inaladores para ajudar a "abrir" as vias respiratórias - um tratamento usado na doença pulmonar obstrutiva crónica e asma.

Redução do volume dos pulmões

A redução do volume dos pulmões, ou seja a dificuldade em expandir os pulmões, é outra das situações identificadas pelos médicos em doentes que tiveram covid-19, principalmente nos que desenvolveram doença grave.

Esta condição influência a quantidade de ar que é inalado, sendo que estes doentes podem vir a desenvolver fibrose pulmonar, uma condição que dificulta as trocas gasosas com o sangue.

Jeffrey Sturek e Alexandra Kadl explicam que não existe um tratamento para esta doença, os medicamentos estão ainda em fase de testes.

Diminuição do fluxo sanguíneo

Outras das situações apontadas pelos dois médicos é a diminuição do fluxo sanguíneo, essencial para o bom funcionamento dos pulmões.

Segundo Jeffrey Sturek e Alexandra Kadl, há evidências de que as infeções graves por covid-19 podem danificar os vasos sanguíneos dos pulmões e prejudicar o fluxo sanguíneo durante a recuperação.

A covid-19 está também associada a um risco acrescido de desenvolvimento de coágulos. E se estes coágulos se deslocarem para os pulmões poderão causar uma embolia pulmonar


Últimas Notícias
Mais Vistos