Crise Migratória na Europa

Barco com 65 migrantes dirige-se para Malta e desiste de atracar em Lampedusa

Darrin Zammit Lupi

Embarcação dirige-se agora para Malta.

O barco Alan Kurdi, da Organização Não-Governamental Sea Eye, dirige-se hoje para Malta com 65 migrantes a bordo, após receber um decreto do ministro do Interior italiano com a proibição expressa de atracar na ilha de Lampedusa.

"Percebemos que a Itália está disposta a impedir a entrada nos seus portos de dois barcos, até que a situação se torne insuportável para os seus capitães.

Esta ação governamental irresponsável mostra-nos o que nos esperava em Lampedusa. Não queríamos arriscar", explicou o diretor da missão, Gorden Isler, em declarações à revista "Der Spiegel".


"Por isso, dirigimo-nos para Malta. Parece-me impensável que ali nos tratem como [o ministro Mateo] Salvini trata os barcos que salvam pessoas", acrescentou.


O Alan Kurdi resgatou na quinta-feira, em águas internacionais, 65 migrantes, entre os quais 39 menores, e rumou para Lampedusa na noite de sexta-feira.


No sábado, recebeu a bordo agentes da polícia aduaneira italiana, que entregaram à tripulação o decreto de Salvini.


O incidente aconteceu poucos dias depois de o Sea Watch 3, outro barco da ONG, ter atracado em Lampedusa contra as ordens expressas das autoridades italianas.


A capitã do barco, Carola Rackete, foi detida e posteriormente libertada.

Lusa

  • As novas tabelas da ADSE
    2:35