Crise Migratória na Europa

Quatro mortos e mais de 20 desaparecidos ao largo das ilhas Canárias

Quatro mortos e mais de 20 desaparecidos ao largo das ilhas Canárias
Gregorio Borgia / AP

Autoridades estão convencidas de que os 29 passageiros desaparecidos terão morrido e sido engolidos pelo ocenano.

As autoridades espanholas anunciaram hoje a descoberta de quatro mortos a bordo de um barco de imigrantes que transportava 34 pessoas, ao largo das ilhas Canárias, havendo ainda 29 passageiros desaparecidos.

Algumas horas antes, durante a noite, um único sobrevivente tinha sido resgatado, por um navio mercante.

A ONG de defesa dos migrantes Caminando Fronteras informou que recebeu um pedido de socorro deste mesmo barco, em 24 de setembro, poucas horas após a sua partida da costa do Saara Ocidental, com 34 pessoas a bordo.

As autoridades estão convencidas de que os 29 passageiros desaparecidos terão morrido e sido engolidos pelo ocenano.

O barco foi encontrado por uma equipa de resgate marítimo espanhol a cerca de 280 quilómetros da ilha de Gran Canaria.

Desde o início do ano, cerca de 11.500 migrantes conseguiram atravessar a África para as ilhas Canárias, segundo dados do Governo espanhol, divulgados em 15 de setembro.

Segundo a organização Caminando Fronteras, 978 pessoas morreram a aventurar-se na travessia.

No ponto mais curto, a costa marroquina fica a apenas 100 quilómetros das ilhas Canárias, mas a maioria dos migrantes vem de mais a sul, alguns saindo da Mauritânia, a 1.000 quilómetros de distância.

O número de migrantes que tentam a travessia começou a aumentar acentuadamente a partir de final de 2019, quando a maior presença das patrulhas no Mediterrâneo reduziu as travessias por essa via marítima.

Últimas Notícias
Mais Vistos