Crise na Venezuela

Bolívia condena tentativa de golpe de Estado na Venezuela

Burhan_Ozbilici

O autoproclamado Presidente venezuelano, Juan Guaidó, deu início a um golpe de Estado.

O Presidente da Bolívia, Evo Morales, condenou hoje "energicamente a tentativa de golpe de Estado na Venezuela", depois de o presidente do Parlamento e autoproclamado presidente interino desse país, Juan Guaidó, ter anunciado "o fim da usurpação".

"Condenamos energicamente a tentativa de golpe de Estado na Venezuela, pela direita, que é submissa aos interesses estrangeiros", afirmou Morales na sua conta de Twitter.

A Bolívia é um dos apoios do Presidente venezuelano Nicolás Maduro, tendo-se mostrado convencido que a tentativa de Guaidó será um fracasso.

O Governo do Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, denunciou hoje que está a enfrentar um golpe de Estado, de "um reduzido grupo de militares traidores" que estão a ser neutralizados.

"Informamos o povo da Venezuela que neste momento estamos a enfrentar e desativar um reduzido grupo de militares traidores que se posicionaram no Distribuidor Altamira (leste de Caracas), para promover um golpe de Estado contra a Constituição e a paz da República", anunciou o ministro venezuelano de Comunicação e Informação na sua conta do Twitter.

A mensagem surgiu momentos depois de o Presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, ter anunciado que os militares deram "finalmente de vez o passo" para acompanhá-lo e conseguir "o fim definitivo da usurpação" do Governo do Presidente Nicolás Maduro.

"O 01 de maio, o fim definitivo de usurpação começou hoje", disse Guaidó num vídeo publicado na sua conta na rede social Twitter, no qual se pode ver o Presidente interino com um grupo de soldados na base de La Carlota, a leste de Caracas.

Lusa