Eleições nos EUA

FBI emite alertas para eventual interferência estrangeira nas eleições presidenciais dos EUA

As eleições presidenciais estão marcadas para 03 de novembro.

O FBI e a agência de segurança de infraestruturas e cibersegurança norte-americana (CISA) emitiram nas últimas semanas alertas aos eleitores sobre problemas que podem surgir nas eleições presidenciais de novembro e medidas para limitar ameaças de interferência estrangeira.

Entre os problemas identificados pelas duas organizações estão a disseminação de desinformação 'online' sobre o processo eleitoral e ataques cibernéticos à estrutura eleitoral.

Com estes avisos, as autoridades querem não só demonstrar que estão a investigar potenciais ameaças, mas também ajudar os eleitores a prepararem-se para diferentes situações que podem ocorrer.

Apesar desta 'campanha', o diretor do Centro para Inovação e Investigação de Eleições (CEIR) defendeu, na terça-feira, que as eleições de 03 de novembro nos Estados Unidos vão ser "as mais seguras de sempre".

Entre os alertas está, por exemplo, a criação de domínios de Internet, 'sites' e contas de 'email' falsos, mas que podem ser identificados por pequenos erros ortográficos ou outras alterações quase impercetíveis para enganar os utilizadores.

Através destas páginas pode ser difundida informação falsa sobre os resultados eleitorais.

Assim, uma das precauções que deve ser tomada, indicam as autoridades, é verificar a grafia de 'sites' e endereços de 'email'.

Por outro lado, é revelado, os serviços de inteligência estrangeiros podem utilizar jornais 'online' para provocar confusão ou minar a confiança na legitimidade dos resultados das eleições presidenciais, disseminar informações sobre ataques cibernéticos (tanto reais como falsos) ou difundir informações falsas para manipular a opinião pública e desacreditar o processo eleitoral.

Desta forma, defendem, os eleitores apenas devem confiar em fontes de informação credíveis e verificar relatos de problemas com a votação antes de os replicarem.

Quanto às ameaças à infraestrutura eleitoral, as autoridades esclarecem que mesmo que ocorram atrasos, que alguns 'sites' relacionados com o ato eleitoral fiquem inacessíveis ou que o acesso às informações e resultados da votação seja lento, isso não deve comprometer a credibilidade dos resultados.

O FBI e a CISA afirmam ainda, em outro alerta, que não identificaram nenhum incidente que possa impedir os norte-americanos de votar ou que possa alterar a contagem dos votos.