Football Leaks

Inspetor da PJ arguido em processo paralelo ao Football Leaks

Estão a ser investigadas ligações de Rogério Bravo à Doyen.

Um dos inspetores que investigou Rui Pinto foi constituído arguido num processo paralelo ao Football Leaks. O tribunal que julga o alegado pirata informático começou esta quarta-feira a ouvir as primeiras testemunhas de defesa.

A investigação do Ministério Público a Rogério Bravo nasceu durante o julgamento do alegado pirata informático, quando o então assessor jurídico da Doyen, fundo de investimento que Rui Pinto terá tentado extorquir, revelou que o inspetor ajudou a Doyen a processar Rui Pinto.

As declarações do advogado Pedro Henriques foram feitas em dezembro, nessa sessão, a juíza presidente ordenou que fossem extraídas certidões e, três meses depois, o MP abriu uma investigação.

Esta é a segunfa vez que são investigadas as ligações entre a Doyen e a Polícia Judiciária, depois de terem sido levantadas suspeitas por Ana Gomes. O inquérito que tinha sido arquivo foi agora reaberto.

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros