George Floyd

Protestos pela morte de George Floyd continuam a cruzar fronteiras

Manifestações também no Canadá e na Nova Zelândia.

Em mais uma noite de protestos nos Estados Unidos pela morte de George Floyd e contra a brutalidade policial, Washington impôs o recolher obrigatório e ativou a Guarda Nacional para evitar novos distúrbios, mas os manifestantes continuaram a protestar frente à Casa Branca.

Nos estados da Florida e da Georgia, os soldados também foram chamados a intervir.

Em seis dias de protesto, mais de quatro mil pessoas foram detidas.

As manifestações cruzaram, nos últimos dias, as fronteiras dos EUA e chegaram mais recentemente ao Canadá, onde se registaram confrontos com a polícia, e à Nova Zelândia.

George Floyd, um afro-americano de 46 anos, morreu na noite de segunda-feira em Minneapolis, após uma intervenção policial violenta, cujas imagens foram divulgadas através da internet.

Floyd foi detido por suspeita de ter tentado pagar com uma nota falsa de 20 dólares num supermercado. Num vídeo filmado por transeuntes e divulgado nas redes sociais, é possível ver um dos agentes pressionar o pescoço da Floyd com o joelho durante vários minutos.

Veja também: