Queda do BES

BES caiu há sete anos e pela primeira vez o Novo Banco apresentou lucros num semestre

Passados sete anos, e pela primeira vez, o Novo Banco apresenta lucros num semestre.

Às onze da noite do dia 3 de agosto de 2014, o Governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, anunciava a morte do Banco Espírito Santo, já sem Ricardo Salgado aos comandos.

O banco tinha apresentado 3 mil e 600 milhões de euros em prejuízos, os piores de sempre, e todos os sinais apontavam para uma ruptura.

Dois meses antes, a situação financeira do banco já era preocupante, apesar de quase todos o negarem: o primeiro-ministro na altura, Pedro Passos Coelho, o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, e o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

Pouco tempo depois todo o império dos Espírito Santo ruía. O BES passava a ser um banco mau e nascia o Novo Banco, que acabaria por ser vendido aos americanos. No banco mau ficariam os ativos tóxicos, o crédito mal parado e o papel comercial.

Passados sete anos e pela primeira vez, o Novo Banco apresenta lucros num semestre. Por coincidiência quando deixou de estar protegido pelo Fundo de Resolução, do qual recebeu mais de 3 mil milhões de euros.