Governo

Quem é Pedro Adão e Silva, o novo ministro da Cultura

23.03.2022 20:02

O comissário executivo da comemorações do 50.º aniversário do 25 de Abril, Pedro Adão e Silva, posa para a fotografia, durante uma entrevista à agência Lusa, no Quartel do Carmo, em Lisboa, 17 de março de 2022. As comemorações dos 50 anos do 25 de Abril de 1974 começam na quarta-feira com uma sessão solene em que serão condecorados militares da “revolução dos cravos” e na quinta-feira evoca-se a crise académica de 1962. (ACOMPANHA TEXTO DO DIA 20 DE MARÇO DE 2022). MÁRIO CRUZ/LUSA

O nome anunciado pelo Governo vem substituir Graça Fonseca à frente do Ministério da Cultura.

Pedro Adão e Silva, indicado para novo ministro da Cultura, é sociólogo, professor universitário, comentador político e comissário executivo das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril de 1974, cargo que deixará esta semana quando assumir funções no Governo.

Nascido em Lisboa, em 1974, Pedro Adão e Silva é um académico, especializado em políticas públicas e políticas sociais, licenciado em Sociologia e doutorado em Ciências Sociais e Políticas.

Professor universitário no ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, desde 2007, suspendeu funções depois de ter sido nomeado pelo Governo, em maio de 2021, para liderar a estrutura de missão que organiza as comemorações dos 50 anos do 25 de Abril, até 2024.

Num perfil traçado em 2021, a revista Visão recordava que Pedro Adão e Silva começou a militar no PS aos 18 anos, tendo sido membro do Secretariado Nacional do partido, sob a liderança de Eduardo Ferro Rodrigues.

Pedro Adão e Silva é ainda comentador político na RTP, na TSF e na Sport TV, e tem uma coluna de opinião nos jornais Expresso e Record.

Com uma presença ativa na rede social Twitter, onde tem cerca de 43 mil seguidores, Pedro Adão e Silva é benfiquista – já fez parte de uma candidatura à direção do clube -, pratica surf, teve um programa de rádio em nome próprio dedicado ao pop e ao rock, e publicou várias obras, entre as quais “Sal na Terra” (2009), “Tanto Mar” (2012) e “Cuidar do Futuro – Os mitos do Estado social português” (2015), em co-autoria com Mariana Trigo Pereira.

Na nota biográfica, aquando da sua nomeação para comissário executivo dos 50 anos da Revolução de Abril, lê-se que, em conjunto com Ricardo Paes Mamede, coordenou o relatório “Estado da Nação e as Políticas Públicas – menos reformas, melhores políticas” (2019) e “Estado da Nação e as Políticas Públicas – valorizar as políticas públicas” (2020).

A mesma biografia refere que é membro do Conselho Geral da APREN – Associação de Energias Renováveis e do Conselho Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Saiba mais

Os ministros do novo Governo

Últimas Notícias