Guerra Rússia-Ucrânia

Web Summit proíbe membros e empresas ligadas ao Governo russo

Web Summit proíbe membros e empresas ligadas ao Governo russo

A organização garante que irá continuar a “acompanhar a situação de perto”.

A Web Summit anuncia esta sexta-feira a decisão de proibir todos os membros e agências governamentais, media controlados pelo Estado e empresas com vínculos ao Governo russo de participar na cimeira tecnológica, na sequência da guerra contra a Ucrânia.

Numa mensagem na rede social Twitter, a Web Summit manifesta-se “profundamente triste com a perda de vidas e a tragédia em curso” na Ucrânia.

“Somos solidários com a Ucrânia e opomo-nos a esta guerra de agressão”, afirma.

À medida que a crise na Ucrânia se desenrola, a Web Summit “irá apoiar e agirá de acordo com as restrições e sanções implementadas pela União Europeia contra a Rússia e a Bielorrússia”.

Nesse sentido, “tomámos a decisão de proibir todos os membros e agências governamentais, media controlados pelo Estado, negócios apoiados pelo Estado e empresas com vínculos com o Governo russo, de participar na Web Summit”, anuncia a organização.

“Além disso, todos os negócios russos, incluindo empresas públicas e privadas, serão proibidas de expor” na Web Summit, acrescenta.

A organização garante que irá continuar a “acompanhar a situação de perto” e, da forma como as coisas estão, a Web Summit não receberá “nenhuma organização ou empresas russas ou bielorussas em Lisboa em novembro”.

Últimas Notícias
Mais Vistos