Guerra Rússia-Ucrânia

Rússia deve ser responsabilizada financeiramente pela destruição da Ucrânia, propõe Zelensky

21.05.2022 07:04

En esta imagen tomada de un video proporcionado por la oficina de prensa de la Presidencia de Ucrania, el presidente, Volodymyr Zelenskyy, ofrece un discurso desde Kiev, Ucrania, el 10 de mayo de 2022. (Oficina de prensa de la Presidencia de Ucrania vía AP)

O Presidente ucraniano quer assinar um acordo com o Ocidente para que os lesados da guerra na Ucrânia recebam uma indemnização.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pretende ver a Rússia responsabilizada financeiramente pelos danos que as Forças Armadas estão a infligir na Ucrânia, desde o início da invasão, salientando as cidades transformadas em ruínas pelos ataques russos.

O governante sublinhou esta sexta-feira que a Rússia deve pagar por cada casa, escola, hospital e negócio que destruir. E defendeu que deve ser criado um mecanismo legal para que todos os que sofreram com as ações da Rússia possam receber uma compensação.

O chefe de Estado da Ucrânia salientou que, esta sexta-feira, o Exército russo disparou um míssil na região de Kharkiv, no nordeste, que destruiu um centro cultural em Lozova.

Mais cedo, através de uma mensagem na rede social Telegram, o Presidente ucraniano afirmou que “os ocupantes [russos] identificaram a cultura, a educação e a humanidade como seus inimigos”, contra os quais “não estão a poupar mísseis”.

Segundo o chefe de Estado ucraniano, o ataque resultou em sete feridos, incluindo uma criança.

Os ataques russos também atingiram as cidades de Odessa, no sul, Poltava, no leste, e Zhytomyr, no oeste, sublinhou, no seu discurso diário em vídeo, dirigido à nação.

Na região do Donbass, no leste da Ucrânia, onde os ataques russos estão concentrados, as forças de Moscovo transformaram as cidades de Rubizhne e Volnovakha em ruínas, tal como fizeram em Mariupol e estão a tentar fazer em Severodonetsk, alertou Volodymyr Zelensky.

As autoridades ucranianas tinham divulgado esta sexta-feira que pelo menos 13 pessoas morreram numa ofensiva militar lançada na quinta-feira pelas forças russas, numa tentativa de tomar o controlo de duas cidades na província de Lugansk.

O chefe da administração militar regional de Lugansk, Serhiy Gaidai, afirmou na plataforma de mensagens Telegram que “o inimigo está a realizar uma operação ofensiva nas áreas de Lisichansk e Severodonetsk” e salientou que “em toda a região de Lugansk há mais de 60 casas destruídas”.

As cidades de Severodonetsk e Lisichansk estão localizadas na província de Lugansk não controlada pela autoproclamada República Popular de Lugansk e é um dos principais alvos das forças russas.

COM LUSA

Saiba mais

Últimas Notícias