Guerra Rússia-Ucrânia

Central nuclear de Zaporijia: Ucrânia preparada para "todos os cenários", incluindo a evacuação das povoações

Central nuclear de Zaporijia: Ucrânia preparada para "todos os cenários", incluindo a evacuação das povoações
Gregory Adams
O Governo ucraniano lembra que "se trata da maior central nuclear da Europa".

O ministro do interior da Ucrânia diz que o país se está a preparar para uma "tragédia" na central nuclear controlada pela Rússia, em Zaporijia.

“Há planos que consideram todos os desenvolvimentos possíveis da situação, incluindo descarga [emissão] de radiação. Por isso, os planos incluem a evacuação das povoações próximas. Quero recordar que se trata da maior central nuclear da Europa. Tem seis blocos de energia. É claro que é difícil imaginar sequer a dimensão da tragédia que poderia acontecer se os russo continuarem as suas ações aqui”, disse Denis Monastyrskyi.

Loading...

O governante considera que existe “uma posição consciente declarada pela liderança russa de que estão prontos para quaisquer ações, apesar das consequências”, o que obriga à preparação de “todos os cenários”.

“Isto significa para nós que, a partir de hoje, temos de nos preparar para todos os cenários. A partir de hoje os serviços de proteção civil com o Ministério da Administração Interna e o das Regiões vão discutir diversos cenários necessários, incluindo a evacuação de locais”, acrescenta.

Agência Internacional não deteta “ameaça imediata” à segurança nuclear em Zarporíjia

A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) disse, esta quinta-feira, que análises preliminares indicam não haver "ameaça imediata" à segurança nuclear após ataques à central ucraniana de Zaporijia, mas alertou que a situação é grave e "pode mudar" rapidamente.

O diretor-geral da AIEA, Rafael Grossi, informou o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre os últimos desenvolvimentos em Zaporijia, a maior central atómica da Europa, atualmente sob controlo russo e que foi alvo de vários bombardeamentos nos últimos dias.

Grossi insistiu que todas as atividades militares na área devem parar imediatamente e pediu novamente a todas as partes que facilitem uma visita de especialistas da AIEA para analisar a situação no terreno "o mais rápido possível"

"A situação é grave e a AIEA deve ser autorizada a realizar a sua missão em Zaporijia o mais rápido possível", apelou Rafael Grossi, que participou por videochamada nesta reunião de emergência do Conselho de Segurança, convocada pela Rússia.

"O tempo está a esgotar-se", insistiu, uma vez que a AIEA tenta há semanas enviar uma missão para inspecionar aquela central.

Esta é a segunda reunião formal do Conselho de Segurança sobre a segurança das instalações nucleares na Ucrânia, num momento em que Kiev e Moscovo trocam acusações sobre a natureza dos recentes incidentes de segurança na fábrica.

Últimas Notícias
Mais Vistos