Guerra Rússia-Ucrânia

"Ucrânia vai fazer tudo para recuperar os territórios ocupados pela Rússia"

Loading...
A análise do comentador da SIC Germano Almeida.

O Presidente Zelensky apela ao povo ucraniano para se proteger e para não se proximar das instalações militares russas em zonas ocupadas. O comentador da SIC, Germano Almeida, diz que é indicador de que a Ucrânia vai fazer tudo para recuperar os territórios ocupados pela Rússia, incluindo os que foram ocupados desde 2014.

Prova são os ataques na região da Crimeia: um depósito de munições das forças russas explodiu esta terça-feira, uma linha férrea foi atingida e poucas horas depois houve explosões no centro da Crimeia e numa base aérea militar. A Rússia fala em atos de sabotagem e a destruição de alvos civis enquanto a Ucrânia fala na destruição de equipamentos militares.

Zelensky tem reforçado a ideia que a Ucrânia bater-se-á pela recuperação de todos os territórios incluindo a Crimeia pré-24 de fevereiro.

EUA compram 66,8 M€ de trigo ucraniano para doar a países pobres

Os EUA anunciaram a compra de 150 mil toneladas de trigo, que correspondem a 68 milhões de dólares (66,8 milhões de euros), para serem enviadas para países que sofrem de fome severa e subnutrição no Corno de África, uma área afetada por uma seca histórica.

Um grande investimento para ajudar o mundo a recuperar da devastação global causado pela guerra brutal causada por Vladimir Putin.

Guterres vai à Ucrânia para encontros com Zelensky e Erdogan

O Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres, é esperado esta quinta-feira na cidade de Lviv para uma reunião trilateral com o Presidente, Volodymyr Zelensky, e o líder turco, Recep Tayyip Erdogan.

O encontro a três vai ser muito significativo, é o primeiro desde os acordos de Istambul.

Putin acusa Washington de prolongar conflito na Ucrânia e desestabilizar o mundo

O Presidente russo acusou os Estados Unidos de estarem a prolongar o conflito na Ucrânia, de instigar o conflito na Ásia e de tentarem desestabilizar o mundo.

Interessa a Putin associar a tensão Estados Unidos-China e a questão de Taiwan e a intenção da NATO alargar à Ásia, numa estratégia cada vez mais assumida de obter aliados nessa zona para a sua narrativa anti bloco ocidental num esforço para lançar nevoeiro sobre os seus próprios crimes na Ucrânia desde 24 de fevereiro.

Últimas Notícias
Mais Vistos