Guerra Rússia-Ucrânia

Ucrânia nega envolvimento na morte de filha do filósofo russo Alexander Dugin

Ucrânia nega envolvimento na morte de filha do filósofo russo Alexander Dugin
DR

Daria Dugina morreu na explosão do carro que conduzia na região de Moscovo, no sábado à noite.

A Ucrânia negou hoje qualquer envolvimento na morte da filha do filósofo ultranacionalista russo Alexander Dugin, considerado o ideólogo do Presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Darya Dugin morreu na explosão do carro que conduzia na região de Moscovo, no sábado à noite, e as autoridades russas suspeitam de um atentado que poderia ter como alvo Alexander Dugin.

Loading...

"Sublinho que a Ucrânia nada tem a ver com isto, porque não somos um Estado criminoso como a Federação Russa e não somos um Estado terrorista", disse o conselheiro presidencial ucraniano Mikhail Podoliak, citado pela agência espanhola EFE.

O conselheiro do Presidente Volodymyr Zelensky comentou que a Rússia começou a "desintegrar-se internamente" e que vários grupos estão a entrar em confronto numa luta pelo poder.

Como parte deste confronto ideológico, a "pressão da informação" na sociedade está a crescer e a guerra na Ucrânia está a ser utilizada como uma via de fuga, enquanto setores nacionalistas se estão a radicalizar ainda mais, acrescentou Podoliak.

As declarações de Podoliak surgiram depois de o líder pró-russo da região separatista de Donetsk, no leste da Ucrânia, ter acusado o regime de Kiev de envolvimento no alegado atentado que vitimou Darya Dugina.

"Numa tentativa de eliminar Alexander Dugin, os terroristas do regime ucraniano mataram a sua filha", escreveu Denis Pushilin na rede social Telegram.

O senador russo Andrei Klishas também considerou tratar-se de um "ataque inimigo" e exigiu que os autores sejam levados à justiça, segundo a EFE.

A explosão que vitimou Dugina, 29 anos, ocorreu quando a jornalista e comentadora política regressava a casa, depois de ter participado com o pai num festival.

Loading...

Os dois deveriam regressar do evento no mesmo carro, que pertencia a Dugin, mas o filósofo acabou por viajar em outra viatura, de acordo com o violinista Peter Lundstrem, que também assistiu ao festival.

Líder do Movimento Eurasiático, Alexander Dugin, 60 anos, tem sido descrito no Ocidente como "cérebro de Putin" e "guia espiritual" da invasão da Ucrânia, embora se desconheça se mantém contactos com o líder russo.

Apoiante da invasão da Ucrânia, como o pai, Darya Dugina foi alvo de sanções das autoridades norte-americanas e britânicas, que a acusaram de contribuir para a desinformação em relação à guerra iniciada pela Rússia em 24 de fevereiro.

Numa entrevista em maio, descreveu a guerra na Ucrânia como um "choque de civilizações" e manifestou orgulho por ela e o pai terem sido sancionados pelo Ocidente, segundo a BBC.

Alexander Dugin também foi alvo de sanções dos Estados Unidos em 2015, na sequência da anexação da Crimeia pela Rússia, em 2014.

Últimas Notícias
Mais Vistos