Guerra Rússia-Ucrânia

Presidente da Bielorrússia nega envolvimento militar ao lado da Rússia

Presidente da Bielorrússia nega envolvimento militar ao lado da Rússia

Alexander Lukashenko já reagiu e afirma que não vai combater ao lado da Rússia na Ucrânia.

O presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, reiterou, hoje, que a Bielorrússia não vai combater ao lado da Rússia na Ucrânia, reagindo a notícias sobre o possível envio de milhares de soldados para as zonas de combate.

"Temos com a Rússia uma aliança mais estreita do que a NATO. O que é que querem de nós? Insistimos que não vamos combater na Ucrânia", disse Lukashenko quando recebeu as credenciais de onze embaixadores estrangeiros creditados em Minsk, entre os quais os novos diplomatas de Cuba e da Argentina.

De acordo com a agência Belta, Lukashenko disse que Minsk "faz tudo" para parar com o "derramamento de sangue" na Ucrânia. "Mas há aqueles que precisam que se derrame sangue", acrescentou o líder bielorrusso aos embaixadores.

O ex-ministro da Cultura e dirigente da oposição bielorrusso Pavel Latushko, exilado na Polónia, declarou na quinta-feira que Lukashenko prometeu ao Kremlin o envio de 100 mil soldados para a Ucrânia e que, portanto, "está a preparar-se para uma guerra" de grande envergadura.

"Lukashenko está a preparar-se para uma guerra de grande escala. O Ocidente tem que lhe dirigir um ultimato", escreveu o opositor bielorrusso através da rede social Twitter.

Últimas Notícias
Mais Vistos