Guerra Rússia-Ucrânia

Elon Musk manda Pentágono pagar a conta do Starlink

Esta fotografia tirada em 25 de setembro mostra uma antena do sistema de banda larga Starlink doado pelo bilionário de tecnologia dos EUA Elon Musk em Izyum, região de Kharkiv, durante a invasão russa da Ucrânia.
Esta fotografia tirada em 25 de setembro mostra uma antena do sistema de banda larga Starlink doado pelo bilionário de tecnologia dos EUA Elon Musk em Izyum, região de Kharkiv, durante a invasão russa da Ucrânia.
YASUYOSHI CHIBA

SpaceX diz que não pode pagar mais pelos serviços de satélite na Ucrânia.

Desde que começaram a chegar à Ucrânia, os terminais de internet via satélite Starlink feitos pela SpaceX de Elon Musk têm sido uma fonte vital de comunicações para os militares ucranianos, permitindo que lutem e permaneçam ligados mesmo quando as redes de telemóveis e a internet são destruídas na guerra com a Rússia.

Loading...

Até agora, foram doadas à Ucrânia cerca de 20.000 unidades da Starlink. Na sexta-feira Musk publicou no Twitter que “a operação custou à SpaceX 80 milhões de dólares [82 milhões de euros] e vai exceder 100 milhões de dólares [102 milhões de euros] até ao final do ano”.

Mas estas caridosas contribuições podem estar a chegar ao fim, já que a SpaceX alertou o Pentágono que poderá parar de financiar o serviço na Ucrânia a menos que os militares dos EUA contribuam com dezenas de milhões de dólares por mês.

Documentos obtidos pela CNN mostram que no mês passado a SpaceX de Musk enviou uma carta ao Pentágono a avisar que não pode continuar a financiar o serviço Starlink. A carta pede ainda que o Pentágono assuma o financiamento deste serviço de satélites para utilização do governo ucraniano e para o uso militar. A SpaceX afirma que vai custar mais de 120 milhões de dólares até ao fim deste ano e que poderá custar cerca de 400 milhões de dólares nos próximos 12 meses.

“Não estamos em condições de doar terminais para a Ucrânia ou de financiar os terminais existentes por um período indefinido de tempo”, escreveu o diretor de vendas para o Governo da SpaceX ao Pentágono na carta de setembro.

Entre os documentos da SpaceX enviados ao Pentágono e vistos pela CNN está um pedido direto a Musk feito em julho pelo general comandante das forças armadas ucranianas, general Valerii Zaluzhniy, para quase mais 8.000 terminais Starlink.

Numa outra carta ao Pentágono, um consultor externo que trabalha para a SpaceX escreveu:

“A SpaceX enfrenta decisões terrivelmente difíceis aqui. Não acho que eles tenham capacidade financeira para fornecer terminais ou serviços adicionais, conforme solicitado pelo general Zaluzhniy.”

Os documentos fornecem uma rara análise dos próprios números internos da SpaceX no que respeita à Starlink, detalhando os custos e pagamentos associados aos milhares de terminais na Ucrânia. Mostram também as negociações de bastidores que permitiram fornecer milhões de dólares em hardware e serviços de comunicação à Ucrânia a um custo baixo para Kiev.