Incêndios em Portugal

Portugal em situação de alerta devido ao risco de incêndio

Portugal em situação de alerta devido ao risco de incêndio
Andrew Merry
A decisão do Governo implica proibições para prevenir incêndios

Portugal continental está a partir deste domingo, e até terça-feira, em situação de alerta devido ao risco de incêndios florestais.

A decisão do Governo implica proibições para prevenir incêndios:

  • Proibido circular nas florestas ou caminhos que as atravessam;
  • Proibido fazer qualquer tipo de queimada;
  • Uso de máquinas agrícolas está limitado.

A situação de alerta foi anunciada na sexta-feira passada pelo ministro da Administração Interna, após uma reunião do Governo na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

"A situação de alerta será ativada para os dias 21, 22 e 23, estando prevista uma reavaliação [da situação] na segunda-feira ao fim do dia”, anunciou Luís Carneiro.

O ministro justificou a decisão com "o novo pico de calor que se vai sentir nos próximos dias, nomeadamente a partir de domingo", com a previsão de temperaturas na ordem ou superiores a 40ºC, bem como ventos que poderão variar entre os 40 e os 60 km/hora.

O despacho que determina a situação de alerta foi publicado este sábado e prevê também o reforço do patrulhamento das zonas florestais com "25 patrulhas das Forças Armadas", a contratação de mais 100 equipas de bombeiros e a antecipação do pagamento de um milhão de euros às corporações de bombeiros, que "têm tido o esforço de integração no Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR)".

O início das medidas do Governo coincide com a data prevista para a abertura da caça, que fica para já adiada.

Proteção civil emite aviso à população

Este sábado, a Proteção Civil nacional emitiu um aviso à população com medidas preventivas devido ao perigo de incêndio rural por causa do tempo quente e seco.

Segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, os índices de risco de incêndio mantêm-se em muito elevado a máximo nas regiões Norte, Centro, Vale do Tejo, Baixo Alentejo e Algarve.

A lista de medidas preventivas:

  • Proibição de queimadas;
  • Proibição do uso de fogo-de-artifício;
  • Proibição de circulação e permanência em espaços e caminhos florestais;
  • Realização de trabalhos com máquinas (com exceção de trabalhos de construção civil, desde que inadiáveis e sejam adotadas medidas de mitigação de risco de incêndio, trabalhos de colheita de culturas agrícolas e trabalhos florestais matinais de corte e transporte, desde que comunicados à entidade competente).
Últimas Notícias
Mais Vistos