Jogos Olímpicos

Japão admite, pela primeira vez, que o cancelamento dos Jogos Olímpicos é uma hipótese

Issei Kato

O número 2 do Governo japonês reconheceu que, caso a situação epidemiológica se complique, não haverá outra opção que não a de cancelar.

O Japão admitiu, pela primeira vez, que o cancelamento dos Jogos Olímpicos é uma hipótese.

O evento tem vindo a ser adiado desde o verão do ano passado e tinha arranque previsto a 23 de julho.

Esta quinta-feira, num programa de televisão, o número 2 do Governo japonês reconheceu que, caso a situação epidemiológica se complique, não haverá outra opção que não a de cancelar.

Depois do fim do estado de emergência no país, decretado em janeiro, o Japão tem registado novamente um crescimento do número de casos de covid-19. Especialistas defendem que se trata de uma quarta vaga de infeções potenciada pelo aparecimento de novas variantes do vírus.

Veja também:

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia