Jogos Olímpicos

Tóquio 2020. Cavaleira Luciana Diniz "super confiante" para a final de saltos

MICHAEL REYNOLDS

Luso-brasileira acredita que chegou a sua hora de cumprir o sonho do pódio olímpico.

A cavaleira Luciana Diniz garantiu esta terça-feira estar na melhor das formas, tal como o seu cavalo, Vertigo du Desert, apontando o seu desempenho em Tóquio 2020 para a luta pelas medalhas, na quarta-feira.

"Estou super confiante. Foi para isso que vim aqui. É no caminho dos meus sonhos que estou feliz", disse a competidora de 50 anos, após garantir a presença na "grande final" e "agradecida" por participar novamente nos Jogos Olímpicos.

Depois de ter sido 38.ª em Atenas 2004, pelo Brasil, 17.ª em Londres 2012 e nona no Rio 2016, já por Portugal, a luso-brasileira acredita que chegou a sua hora de cumprir o sonho do pódio olímpico.

"Vou dar o meu melhor e ver como vai ser no fim", disse.

Montando Vertigo du Desert, a luso-brasileira, de 50 anos, gastou 85,62 segundos para cumprir o conjunto de obstáculos, sem penalizações.

O melhor registo pertenceu ao britânico Ben Maher, que levou 81,34 segundos a concluir a sua prestação.

"O plano hoje era qualificar para a grande final, que às vezes é o passo mais difícil, o primeiro dia em que tudo tem de estar perfeito. Objetivo cumprido. Grande missão agora para a final", perspetivou.

Luciana Diniz revelou-se inicialmente critica pelo facto de a qualificação em Tóquio 2020 ter apenas uma passagem, contudo, agora que está no Japão, percebe a "vantagem de permitir aos cavalos recuperarem melhor".

Vertigo du Desert "esteve muito bem", à semelhança do que aconteceu "toda a semana", considerando que a adaptação ao Japão e ao clima "decorreu da melhor forma possível".

"Está em 'top' forma, como eu", gracejou, reiterando a ambição de atingir o topo.