Jogos Paralímpicos

Jogos Paralímpicos. Conheça as modalidades e a forma como são classificados os atletas

Mauro Pimentel

São 22 as modalidades nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. Este ano, o badminton e o taekwondo são estreias entre clássicos como o atletismo ou a natação. Um artigo não só para conhecer as modalidades e perceber como são classificados os atletas paralímpicos, mas também com as datas e os portugueses em prova.

Atletismo

Quando: 27 de agosto a 5 de setembro

Onde: Estádio Olímpico de Tóquio

O programa de competições é semelhante ao dos Jogos Olímpicos. Na pista, serão corridas distâncias entre os 100 e os 5.000 metros. No campo, disputam-se os saltos, lançamentos e arremessos. O último dia está reservado para as maratonas

As provas são seguidas de um código com uma letra, que diz respeito à pista (T, track em inglês) ou campo (F, field), e um número, que indica o grau de deficiência do atleta:

  • 11 a 13 - deficiência visual;
  • 20 - deficiência intelectual;
  • 31 a 38 – paralisia cerebral (com cadeira de rodas);
  • 35 a 38 – paralisia cerebral;
  • 40 – nanismo;
  • 41 a 47 – amputados e outros;
  • 51 a 57 – competem em cadeiras de rodas.

Atletas portugueses a competir:

  • Ana Filipe, Salto em Comprimento T20
  • Carina Paim, 400m T20
  • Claudia Santos, Salto em Comprimento T20
  • Cristiano Pereira, 1500m T20
  • Hélder Mestre, 100m e 200m T51
  • João Correia, 100m T51
  • Manuel Mendes, Maratona T46
  • Miguel Monteiro, Lançamento do Peso F40
  • Odete Fiúza, Maratona T11
  • Sandro Baessa, 400m e 1500m T20

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Shuji Kajiyama

Badminton

Quando: 1 a 5 de setembro

Onde: Ginásio Nacional Yoyogi

O badminton foi um dos dois desportos (taekwondo) que foram acrescentados ao programa paralímpico para 2020. Vieram substituir o futebol de 7 e a vela.

As provas incluem singulares, pares mistos, pares femininos e pares masculinos. Os códigos destas competições são:

  • WH 1 e WH 2 – cadeira de rodas;
  • SL 3, SL 4 e SU 5 - em pé;
  • SH 6 – baixa estatura;

Atletas portugueses a competir:

  • Beatriz Monteiro, Singulares SU5

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Basquetebol em cadeira de rodas

Quando: 25 de agosto a 5 de setembro

Onde: Musashino Forest Sport Plaza e Ariake Arena (finais)

A dimensão do campo, a altura do cesto e o tempo de jogo são iguais ao basquetebol dos Jogos Olímpicos.

Os atletas são inseridos em oito classes diferentes (1/1,5/2/2,5/3/3,5/4/4,5), que dizem respeito à limitação física de cada um. Quando menor o número, mais significante é a limitação. O número total permitido é 14. Ou seja, o total dos cinco jogadores que estão a jogar não pode ultrapassar os 14. Se um treinador permitir que a equipa tenha mais de 14, incorrerá numa falta técnica.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Jae C. Hong

Boccia

Quando: 28 de agosto a 4 de setembro

Onde: Ariake Gymnastics Centre

As provas dividem-se em individuais, equipas e pares. O objetivo é lançar as bolas de cor para ficarem o mais perto possível da bola-alvo, que é lançada estrategicamente por um primeiro jogador.

Os atletas competem em cadeira de rodas e estão divididos em quatro classes:

  • BC1 - podem competir com o auxílio de assistentes, que devem permanecer fora da área de jogo do atleta;
  • BC2 - não podem receber assistência;
  • BC3 - características funcionais mais limitadas, usam um instrumento auxiliar e podem ser ajudados por outra pessoa;
  • BC4 - outras deficiências locomotoras, mas que são totalmente autónomos relativamente à funcionalidade exigida pelo jogo, não podem receber auxílio.

Atletas portugueses a competir:

  • Abílio Valente, Individual BC2 e Equipas BC1/BC2
  • Ana Sofia Costa, Individual BC3 e Pares BC3
  • André Ramos, Individual BC1 e Equipas BC1/BC2
  • Avelino Andrade, Individual BC3 e Pares BC3
  • Carla Oliveira, Individual BC4 e Pares BC4
  • Cristina Gonçalves, Individual BC2 e Equipas BC1/BC2
  • José Macedo, Individual BC3 e Pares BC3
  • Manuel Cruz, Pares BC4
  • Nelson Fernandes, Individual BC2 e Equipas BC1/BC2
  • Pedro Clara, Pares BC4

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Kirsty Wigglesworth

Canoagem

Quando: 1 a 5 de setembro

Onde: Sea Forest Waterway

As provas, disputadas na distância de 200 metros, estão divididas em masculinos e femininos, de acordo com três classes:

  • KL1 - usa apenas os braços;
  • KL2 - usa troncos e braços;
  • KL3 - usa braços, tronco e pernas;

Atletas portugueses a competir:

  • Alex Santos, 200m KL1
  • Norberto Mourão, 200m KL2

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Sergio Moraes

Ciclismo de estrada e de pista

Quando: 31 de agosto a 3 de setembro (estrada), 25 a 28 de agosto (pista)

Onde: Fuji Speedway (estrada) e Izu Velodrome (pista)

Para cada tipo de deficiência, há uma bicicleta específica. E os atletas estão divididos em quatro classes, que dizem respeito ao modelo das bicicletas usadas:

  • H1 a H5 - impulsionam a bicicleta adaptada (handbike) com os braços;
  • T1 e T2 – paralisia cerebral que impede de andar numa bicicleta convencional (competem em triciclos);
  • C1 a C5 – atletas com deficiência físico motoras e amputados (bicicletas convencionais),
  • B – atletas com deficiências visuais (bicicletas de dois lugares e o ciclista da frente vê normalmente).

Atletas portugueses a competir:

  • Luís Costa, Contrarrelógio e Prova em Linha H5
  • Telmo Pinão, Contrarrelógio e Prova em Linha C2

O calendário das provas de estrada pode ser visto aqui e de pista aqui.

Mauro Pimentel

Esgrima em cadeira de rodas

Quando: 25 a 29 de agosto

Onde: Makuhari Messe

A modalidade segue as mesmas regras da Federação Internacional de Esgrima, mas com adaptações. As provas são divididas em duas categorias:

  • A – atletas com mobilidade no tronco, amputados ou com limitações de movimento;
  • B – atletas com menor mobilidade no tronco e equilíbrio.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Leo Correa

Futebol de 5

Quando: 29 a 31 de setembro, 2 e 4 de agosto

Onde: Aomi Urban Sports Park

Esta prova é exclusiva para cegos, à exceção do guarda-redes. No entanto, para poder participado nos Jogos Paralímpicos, o guarda-redes não pode ter jogado em competições oficiais da FIFA nos últimos 5 anos, de acordo com a ESPN.

A bola tem guizos no interior, de modo a que os jogadores consigam localizá-la. Contam também com a orientação de um auxiliar, que fica atrás da baliza, para ajudar na direção.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Ueslei Marcelino

Goalball

Quando: 25 de setembro a 3 de agosto

Onde: Makuhari Messe

A modalidade é exclusiva para pessoas com deficiência visual. O campo tem as mesmas dimensões do que voleibol (9 metros de largura por 18 metros de comprimento) e um jogo tem a duração de 24 minutos, dividido em duas partes de 12 minutos.

O objetivo de cada equipa é marcar golos na baliza do adversário. Como é um desporto baseado nas perceções táctil e auditiva, não pode haver ruído no recinto durante o jogo.

Na modalidade, competem atletas com deficiência visual das classes B1, B2 e B3. Todos têm de usar tampões oculares e viseiras opacas para garantir que competem em termos de igualdade.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Raissa Ioussouf

Hipismo

Quando: 26 a 30 de agosto

Onde: Baji Koen

A modalidade está dividida em três provas: individual, freestyle e equipas. Os atletas inserem-se em cinco classes (quanto menor o número, mais severa é a deficiência): I, II, III e IV.

Atletas portugueses a competir:

  • Ana Mota Veiga, Individual e Freestyle Grau I

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Carlos Garcia Rawlins

Judo

Quando: 27 e 29 de agosto

Onde: Nippon Budokan

A prova é disputada por atletas com deficiência visual divididos em categorias de acordo com o peso. Existem três classes:

  • B1 – atletas cegos ou com perceção de luz;
  • B2 - atletas com perceção de vultos;
  • B3 - atletas que conseguem distinguir imagens.

Atletas portugueses a competir:

  • Djibrilo Iafa, -73kg B1

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Kirsty Wigglesworth

Halterofilismo

Quando: 26 a 30 de agosto

Onde: Fórum Internacional de Tóquio

Os atletas são classificados através do peso, assim como nos Jogos Olímpicos. No entanto, os atletas competem deitados num banco.

A modalidade está dividida em 10 categorias masculinas e 10 femininas.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Matt Dunham

Natação

Quando: 25 de setembro a 3 de agosto

Onde: Centro Aquático de Tóquio

A modalidade está dividida em provas masculinas, femininas e mistas. Os atletas têm classificações diferentes para os diversos estilos: S para os estilos Livre, Mariposa e Costas; SB para bruços; e SM para provas de estafetas.

São agrupados em 14 classes:

  • 1 a 10 – nadadores com comprometimento motor;
  • 11 a 13 – nadadores com deficiência visual;
  • 14 – nadadores com deficiência intelectual.

Atletas portugueses a competir:

  • Daniel Videira, 400m Livres e 100m Costas S6
  • David Grachat, 400m Livres S9
  • Diogo Cancela, 200m Estilos, 100m Costas, 100m Bruços e 100m Mariposa S8/SB8/SM8
  • Ivo Rocha, 100m Bruços SB5
  • Marco Meneses, 400m Livres, 40m Livres, 100m Costas, 200m Estilos S11
  • Susana Veiga, 100m Livres e 50m Livres S9

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Eugene Hoshiko

Remo

Quando: 27 a 29 de agosto

Onde: Sea Forest Waterway

Na prova, competem atletas masculinos e femininos em diferentes tipos de embarcações: individual, de dois ou de quatro.

O Remo Paralímpico está dividido em três classes desportivas para deficiência motora e um para deficiência visual:

  • AS - atletas que usam os braços e ombros durante o movimento de remada;
  • TA - atletas que usam os braços, ombros e tronco durante o movimento de remada;
  • LTA-PD - atletas que usam os membros superiores, tronco e pernas durante o movimento de remada;
  • LTA-VI - atletas com deficiência visual.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Ricardo Moraes

Rugby em cadeira de rodas

Quando: 25 a 29 de agosto

Onde: Ginásio Nacional Yoyogi

Na modalidade, podem competir atletas masculinos e femininos, não havendo divisão de género.

É usado um sistema de pontos que avalia a funcionalidade de cada jogador em campo. As classes são 0.5, 1.0, 1.5, 2.0, 2.5, 3.0 e 3.5; sendo que os jogadores com menor funcionalidade têm pontuações mais baixas.

A soma dos pontos dos jogadores em campo (5) não pode ultrapassar os oito. No entanto, se a equipa for mista, a pontuação pode chegar aos nove.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Leo Correa

Taekwondo

Quando: 2 a 4 de setembro

Onde: Makuhari Messe

O Taekwondo foi um dos dois desportos (Badminton) que foram acrescentados ao programa paralímpico para 2020. Vieram substituir o futebol de 7 e a vela.

Nestes Jogos Paralímpicos, as competições são exclusivas para atletas da classe K43 e K44, em três categorias por género.

  • K43 – Atletas que competem em Kyorugi, amputados em ambos os membros superiores abaixo do cotovelo e acima ou ao nível da articulação do pulso.
  • K44 – Atletas que competem em Kyorugi, com uma amputação unilateral acima ou ao nível do pulso.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Tênis de mesa

Quando: 25 de agosto a 3 de setembro

Onde: Ginásio Metropolitano de Tóquio

O Ténis de Mesa é praticado por atletas dos sexos masculino e feminino que apresentem deficiência intelectual, Síndrome de Down, perda da capacidade de audição, ou ao nível motor ou outros condicionalismos.

Com regras e a dinâmica semelhantes à competição nos Jogos Olímpicos, a modalidade divide-se em 11 classes:

  • 1 a 5 – atletas em cadeira de rodas;
  • 6 a 10 - atletas ambulantes;
  • 11 - atletas com deficiência intelectual;

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Leo Correa

Ténis em cadeira de rodas

Quando: 27 de agosto a 4 de setembro

Onde: Ariake Coliseum

Assim como nos Jogos Olímpicos, a modalidade tem as provas singulares e de pares, onde participam atletas masculinos e femininos, com lesões ao nível motor permanente.

O jogo segue as regras tradicionais do ténis, à exceção de que no Ténis em cadeira de rodas é possível que a bola toque no lado do campo do adversário duas vezes sem produzir ponto.

A prova está dividida em duas classes:

  • Open - atletas com lesão permanente num dos membros inferiores;
  • Quad – atletas com lesão permanente em, pelo menos, três membros.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Alastair Grant

Tiro

Quando: 30 de agosto a 5 de setembro

Onde: Campo de Tiro de Asaka

Nos Jogos Paralímpicos no Japão, a modalidade vai ser disputada por atletas, masculinos e femininos, com deficiência motora.

A prova é dividida em três classes:

  • SH1 (Pistola) – atletas com um ou dois membros inferiores comprometidos e/ou o membro superior de apoio;
  • SH1 (Espingarda) – atletas com um ou dois membros inferiores comprometidos;
  • SH2 (Espingarda) – atletas com comprometimento num ou nos dois membros superiores, que precisam de suporte para a arma.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Carlos Garcia Rawlins

Tiro com arco

Quando: 27 de agosto a 4 de setembro

Onde: Parque de Yumenoshima

A modalidade é disputada por atletas, femininos e masculinos, com deficiência motora, nas variantes de singulares e equipas. As provas são divididas em duas classes:

  • Abertas - atletas em cadeira de rodas ou que não tenham equilíbrio, utilizando auxiliares de apoio;
  • W1 - atletas que utilizam cadeira de rodas para realizar os disparos.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Silvia Izquierdo

Triatlo

Quando: 28 e 29 de agosto

Onde: Parque Marinho de Odaiba

A modalidade estreou-se nos Paralímpicos de 2016, no Brasil. Assim como a prova olímpica, também tem a natação, o ciclismo e a corrida, mas com distâncias ajustadas.

No Triatlo, existem nove classes distintas, entre deficiência motora ou visual, que competem por seis medalhas.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Leo Correa

Voleibol sentado

Quando: 27 de setembro a 5 de agosto

Onde: Makuhari Messe

Na modalidade, jogam atletas com deficiência motora, em equipas masculinas e femininas.

Como o próprio nome diz, os jogadores jogam sentados e é obrigatório o contacto no solo com um dos glúteos durante o toque na bola. O campo também está dividido em duas zonas, mas é mais pequeno que um campo para a prática regular.

Cada jogo é decidido à melhor de cinco sets e vence a equipa que marcar 25 pontos em cada. Em caso de empate, ganha quem obtiver dois pontos de vantagem.

O calendário das provas pode ser visto aqui.

Kirsty Wigglesworth

  • 3:13
  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia