Mundial de Futebol

Mundial 2022: adeptos da Hungria entram em confronto com polícia inglesa

Julian Finney

Os desacatos começaram quando a polícia chegou às bancadas para deter um adepto por alegado ato racista.

Adeptos da Hungria entraram esta terça-feira em confronto com a polícia no Estádio de Wembley quando as autoridades irromperam pela sua bancada para deter um indivíduo por um alegado ato racista.

No desafio do grupo I de apuramento para o Mundial2022 do Qatar, que terminou empatado 1-1, os jogadores ingleses ajoelharam-se, antes do início do jogo, no habitual gesto antirracismo nos jogos da sua seleção, momento em que começaram os insultos por parte de alguns dos seguidores magiares.

"Os polícias entraram na arquibancada para prender um espetador por uma ofensa à ordem pública com agravante racial, após comentários feitos a um agente", revelou a Polícia Metropolitana, em comunicado.

Segundo as autoridades, quando os agentes fizeram a detenção "irrompeu uma desordem envolvendo outros espetadores", pelo que a polícia interveio, tendo mesmo de usar cassetetes para conter os adeptos visitantes.

"A ordem foi restaurada rapidamente e não houve mais incidentes nesta fase", esclareceu a polícia.

A federação inglesa anunciou que vai relatar o incidente à FIFA.

No sábado, a Hungria recebeu a Albânia em jogo à porta fechada, em virtude de ter sido punida pelos desacatos -- incluindo racismo -- dos seus adeptos no seu encontro anterior em casa, precisamente frente à Inglaterra.

A FIFA ameaçou a Hungria com mais jogos à porta fechada, caso se repetissem os problemas com os seus adeptos, o que se verificou esta noite.

Apesar do empate, a Inglaterra lidera o grupo I, com 20 pontos, seguida da Polónia de Paulo Sousa, com 17, e da Albânia, com 15, enquanto a Hungria é somente quarta, com 11 pontos.