Operação Lex

Luís Filipe Vieira é mesmo arguido na Operação Lex

LUSA/ ARQUIVO

A Procuradoria-Geral da República confirma que o presidente do Benfica Luis Filipe Vieira e o vice-presidente do clube Fernando Tavares são arguidos na Operação Lex, que agora conta com 12 arguidos.

Numa resposta citada pela agência Lusa, a PGR "confirma a constituição como arguidos de Luís Filipe Vieira e de Fernando Tavares" na investigação que envolve também os juízes desembargadores Rui Rangel, ex-candidato à presidente do clube encarnado, e a sua ex-mulher Fátima Galante.

A Procuradoria adianta que "o inquérito tem, neste momento, 12 arguidos constituídos, entre os quais cinco detidos que serão, previsivelmente ao fim do dia, presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação de medidas de coação".

Rui Rangel terá intercedido a favor de filho de Vieira

Um dos processos em que o juiz Rui Rangel é suspeito envolverá Tiago Vieira, filho do presidente do Benfica. Luís Filipe Vieira terá pedido ao juiz que intercedesse no caso em que o filho deve mais de um milhão de euros ao fisco. Em troca, Vieira terá prometido a Rangel um cargo na direção do clube e na futura universidade.

Entretanto, Tiago Vieira já negou o seu envolvimento, em comunicado.

A Operação Lex investiga suspeitas de corrupção/recebimento indevido de vantagem, branqueamento de capitais, tráfico de influências e fraude fiscal.

A fase de inquirições judicial dos arguidos, para aplicação das medidas de coação, vai decorrer no Supremo Tribunal de Justiça.

Com Lusa