Polígrafo SIC Europa

Reino Unido detém mais de 600 cidadãos europeus?

Canva

Os europeus, que queiram trabalhar, viver ou estudar no Reino Unido, devem pedir um visto até 30 de junho.

No Facebook um utilizador partilhou uma publicação que afirma que “a nova política britânica de emigração já levou à detenção de cidadãos europeus que se deslocam ao Reino Unido para, entre outras coisas, entrevistas de emprego”.

Será assim?

De acordo com a Euronews, “dezenas de cidadãos europeus foram detidos no Reino Unido por causa de um mal-entendido relacionado com os novos requisitos de entrada no país”. A estação televisiva avança que entre os detidos estão cidadãos alemães, gregos, italianos, romenos, portugueses, búlgaros e espanhóis. Alegadamente, algumas destas pessoas deslocaram-se ao Reino Unido para entrevistas de emprego. Os cidadãos detidos terão sido deslocados para um centro de detenção, onde estiveram sob custódia das autoridades inglesas, vários dias, sem acesso aos seus documentos.

De acordo com as estatísticas publicadas pelo governo britânico a 27 de maio, nos primeiros três meses do ano foram detidos mais de 600 cidadãos europeus na fronteira do Reino Unido. São pessoas de 15 nacionalidades da União Europeia: checos, estónios, franceses, alemães, gregos, húngaros, italianos, letões, lituanos, holandeses, polacos, portugueses, romenos, eslovacos, espanhóis e suecos.

De acordo com o site oficial do governo britânico, “a pandemia de COVID-19 teve um impacto significativo no sistema de imigração do Reino Unido, tanto em termos de restrições à movimentação de migrantes dentro e fora do Reino Unido, como no impacto na capacidade operacional”. Além disso, explica-se que os europeus que foram obrigados a regressar ao seu país não cumpriram com os requisitos das leis de imigração.

Por causa do Brexit, a livre circulação entre o Reino Unido e a União Europeia mudou a 31 de dezembro de 2020. Os cidadãos europeus que agora queiram viver, trabalhar ou estudar no Reino Unido devem pedir um visto. Os europeus têm até 30 de junho para pedir este visto.

O grupo “Renovar a Europa”, que representa no Parlamento Europeu a Aliança dos Liberais e Democratas pela Europa, publicou no Twitter, a 12 de maio, uma carta enviada à presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, em que apela a que a Comissão interceda a favor destes europeus detidos. Isto porque “as detenções de jovens europeus e de imigrantes europeus que não representam um risco foram desproporcionais. As autoridades inglesas não foram razoáveis nem agiram num espírito de cooperação e boa fé, já que estes indivíduos não estão ainda totalmente a par dos novos requisitos para poderem entrar no Reino Unido”. Também a eurodeputada Nicola Danti, do mesmo grupo, enviou questões à Comissão, a 17 de maio. A eurodeputada questiona a Comissão se estas detenções vão em linha com o acordo comercial entre a União Europeia e o Reino Unido.

Posto isto, é verdade mais de 600 europeus foram detidos ao tentarem entrar na fronteira do Reino Unido, por violarem os novos requisitos de entrada no país, neste caso não terem pedido o visto de permanência no país.

Avaliação Polígrafo SIC Europa: Verdadeiro

Veja também:

A União Europeia nem sempre é bem entendida e muitas vezes é alvo de notícias falsas e manipulações.

No ano em que Portugal assume pela quarta vez a presidência da UE, entre 1 de janeiro e 30 de junho, o Polígrafo SIC abre espaço ao fact-checking dedicado aos assuntos europeus e à forma como influenciam os 27 Estados-membros.

"Este projeto foi cofinanciado pela União Europeia no âmbito do programa de subvenções do Parlamento Europeu no domínio da comunicação. O Parlamento Europeu não foi associado à sua preparação e não é de modo algum responsável pelos dados, informações ou pontos de vista expressos no contexto do projeto, nem está por eles vinculado, cabendo a responsabilidade dos mesmos, nos termos do direito aplicável, unicamente aos autores, às pessoas entrevistadas, aos editores ou aos difusores do programa. O Parlamento Europeu não pode, além disso, ser considerado responsável pelos prejuízos, diretos ou indiretos, que a realização do projeto possa causar.”