Polígrafo SIC Europa

Portugal é um dos países da União Europeia com menos funcionários públicos?

SIC

Em 2020, trabalhavam no setor público, em Portugal, 718.947 trabalhadores. A Suécia é o país da União Europeia com mais cidadãos a trabalhar no setor público.

No Twitter, uma publicação garante que “Portugal é um dos países da União Europeia com o menor número de funcionários públicos”. A acompanhar o post, é partilhado um mapa da União Europeia, com a percentagem de funcionários públicos em cada Estado-membro, entre 2016 e 2018. Segundo o mapa, a Suécia é o país com a maior percentagem de funcionários público – 29% – e Portugal está na lista (menos de 15%) dos países com menos funcionários públicos. Será verdade?

No mapa, está assinalado como fonte o Eurostat. O Polígrafo SIC confirmou que, de facto, de acordo com os dados mais recentes do serviço europeu de estatística, em 2019 14% da população ativa em Portugal trabalhava no setor público. Com percentagens mais baixas só a Itália, o Luxemburgo, os Países Baixos e a Alemanha. Em contraponto, a Suécia é o país com mais contratações de funcionários públicos (29%), segue-se a Dinamarca (28%), a Finlândia (24%), a Croácia e a Estónia (ambos com 23%).

Na base de dados, sublinha-se que “os limites do que é o setor público variam de acordo com o Estado-membro, por exemplo, depende de cada país se os trabalhos na educação ou nos serviços de saúde entram para a contabilização do número de funcionários públicos”.

De acordo com o Boletim de Estatística do Emprego Público, da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público, a 31 de dezembro de 2020, trabalhavam no setor público 718.947 trabalhadores.

Em suma, é verdade que, no panorama da União Europeia, Portugal é um dos países com menos funcionários públicos.

Avaliação Polígrafo SIC Europa: Verdadeiro

Veja também:

A União Europeia nem sempre é bem entendida e muitas vezes é alvo de notícias falsas e manipulações.

No ano em que Portugal assume pela quarta vez a presidência da UE, entre 1 de janeiro e 30 de junho, o Polígrafo SIC abre espaço ao fact-checking dedicado aos assuntos europeus e à forma como influenciam os 27 Estados-membros.

"Este projeto foi cofinanciado pela União Europeia no âmbito do programa de subvenções do Parlamento Europeu no domínio da comunicação. O Parlamento Europeu não foi associado à sua preparação e não é de modo algum responsável pelos dados, informações ou pontos de vista expressos no contexto do projeto, nem está por eles vinculado, cabendo a responsabilidade dos mesmos, nos termos do direito aplicável, unicamente aos autores, às pessoas entrevistadas, aos editores ou aos difusores do programa. O Parlamento Europeu não pode, além disso, ser considerado responsável pelos prejuízos, diretos ou indiretos, que a realização do projeto possa causar.”