Saúde Mental

“Ainda há vergonha em mostrar fragilidade”

Loading...

“O ser humano funciona como um todo” e todos precisam “de ser escutados pelo outro”, lembra o psiquiatra João Redondo, em entrevista à SIC.

A depressão e o burnout têm pontos em comum, mas são realidades diferentes, explica João Redondo. No entanto, “50% das pessoas que passam por burnout podem ficar deprimidas”, garante o psiquiatra que lembra: “o ser humano funciona como um todo” e todos precisam “de ser escutados pelo outro”.

Mesmo havendo poucos estudos em Portugal, o país aparece no topo da lista da União Europeia como aquele onde os trabalhadores mais correm o risco de sofrer de burnout. Embora, como diz João Redondo ainda haja “vergonha em mostrar fragilidade”.

O psiquiatra defende que é importante haver, nas empresas, prevenção deste síndrome ocupacional. Se ao trabalhador pode ser pedido que não se foque no problema, mas antes na solução, à entidade patronal deve ser exigido que saiba reconhecer o trabalho do funcionário através, por exemplo, da atribuição de uma remuneração considerada digna e justa.

Entrevista realizada no âmbito da Grande Reportagem “Burnout, Paragem Obrigatória”, a transmitir no Jornal da Noite esta quinta-feira, 30 de junho.

Últimas Notícias
Mais Vistos